Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Idoso dispara por engano sobre GNR

Um homem, de 83 anos, foi identificado pela GNR de Alijó, na madrugada de ontem, após ter feito dois disparos de caçadeira para o ar. O idoso pensou que a sua casa, em Ribalonga, Alijó, estava cercada por assaltantes. Não reconheceu os militares que andavam à procura de um grupo de indivíduos que, horas antes, tinha realizado um furto na zona de Vila Real.

23 de Maio de 2009 às 00:30
Carlos Rodrigues foi levado para o posto e apreenderam-lhe a caçadeira
Carlos Rodrigues foi levado para o posto e apreenderam-lhe a caçadeira FOTO: Almeida Cardoso

"Ouvi um carro a parar e pouco depois a arrancar, mas continuei a ouvir vozes, disparei dois tiros para o ar, em direcção à vinha, pensei que andavam aí os bandidos", contou Carlos Rodrigues ao CM.

O idoso, que já foi vítima de quatro assaltos, disse ter ficado assustado com o aparto de carros em redor da sua casa. "Eles estavam num cruzamento que não tem luz, junto à minha casa. Os carros deles também tinham as luzes desligadas. Claro que não os via!", sublinhou Carlos Rodrigues.

Só quando um guarda usou o megafone é que o idoso percebeu que se tratava da GNR.

"Disseram-me que ou abria a porta ou mandavam-me duas rajadas de fogo", lembrou o octogenário que não ganhou para o susto.

Carlos Rodrigues, de pijama vestido, não ofereceu resistência e foi imobilizado pelos militares à porta de casa. Após ter sido identificado, os guardas apreenderam-lhe a caçadeira legalizada e levaram-no para o posto de Alijó. Acabou por ser libertado algumas horas depois.

"É claro que estou atento. Numa das quatro vezes que fui assaltado, usaram gás paralisante e roubaram-me 850 euros. Noutra vez levaram-me a carteira com 180 euros", recordou o idoso que já foi agredido por um assaltante. "Esse queria armas ou dinheiro, mas valeram-me os vizinhos que o puseram daqui para fora a correr", recordou o idoso.

Nesta operação, não foi só Carlos Rodrigues que foi confundido. Um vizinho do idoso também foi interpelado pelos militares. "Vim à varanda ver o que era e ouvi um megafone. O guarda mandou-me pôr as mãos no ar e vir para a estrada, fiquei admirado. Pensaram que tinha sido eu a dar os tiros", lamentou o homem.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)