Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Igreja admite fim de mais feriados

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) admite a abolição de mais feriados religiosos, desde que ao fim de um dia santo corresponda o fim de um feriado civil.

11 de Novembro de 2011 às 01:00
A Igreja Católica admite o fim de mais feriados religiosos, desde que acabem também feriados civis
A Igreja Católica admite o fim de mais feriados religiosos, desde que acabem também feriados civis FOTO: Tiago Sousa Dias

"O povo e a nossa tradição cristã merecem esta equidade e o Governo está de acordo", disse ontem D. José Policarpo, no encerramento dos trabalhos da Assembleia Plenária da CEP, em Fátima, acrescentando que o último feriado de que abre mão é o da Senhora da Conceição (8 de Dezembro). "Gostaríamos de que o 8 de Dezembro fosse intocável, por se tratar da festa da Padroeira de Portugal e de uma festa de grande adesão popular. Aliás, até convidei um ministro a visitar as igrejas portuguesas, para ver que há em cada uma delas a imagem da Senhora da Conceição", explicou o Cardeal--patriarca.

Também no Parlamento, na discussão do Orçamento do Estado, o corte nos feriados foi referido: o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, defendeu o corte de quatro feriados – dois civis e dois religiosos.

D. José Policarpo lembrou que na Concordata (acordo diplomático entre Portugal e a Santa Sé) "só é garantido dia de descanso ao domingo, podendo todos os feriados ser objecto de novo protocolo negocial".

Com excepção dos feriados municipais, Portugal tem actualmente seis feriados civis, seis religiosos e dois de cariz civil e religioso (Natal e 1 de Janeiro).

Tal como o CM noticiou ontem, vão passar para o domingo mais próximo as festas do Corpo de Deus (Maio ou Junho) e da Assunção de Nossa Senhora (15 de Agosto) e deixa de fazer-se feriado nos dias da Instauração da República (5 de Outubro) e da Restauração da Independência (1 de Dezembro).

Assim, além do Natal e do 1 de Janeiro, os portugueses ficarão com quatro feriados civis e quatro religiosos, sendo que um deles (Páscoa) celebra-se sempre ao domingo.

PROPOSTA DE REDUÇÃO VAI SER DISCUTIDA

O ministro da Economia e Emprego, Álvaro Santos Pereira, afirmou ontem no Parlamento, durante a discussão do Orçamento do Estado, que "Portugal não pode continuar a ter tantos feriados" e que a proposta de redução vai ser levada à reunião da concertação social, no dia 28. Ao CM, fonte do Ministério da Economia e Emprego afirmou que a proposta do Executivo sobre os feriados civis a eliminar só será revelada depois de comunicada aos parceiros sociais.

FERIADOS CONFERÊNCIA EPISCOPAL RELIGIÃO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)