Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Igreja reforça amor

O Cardeal-patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, presidiu ontem à missa de Acção de Graças pela canonização da Santa Joana Jugan, na igreja do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa. Autora de um trabalho junto dos mais velhos, que hoje se estende por 32 países, Joana Jugan (1792-1879) foi proclamada santa pelo Papa Bento XVI a 11 deste mês.
25 de Outubro de 2009 às 00:30
Cardeal celebra 125 anos da presença das Irmãzinhas em Lisboa
Cardeal celebra 125 anos da presença das Irmãzinhas em Lisboa FOTO: Sérgio Lemos

Na sua homilia, o Cardeal-patriarca centrou a palavra na expressão de amor de Deus existente no Homem, sublinhando que a “ternura é a forma de nos amarmos uns aos outros”.

Concluída a comunhão, D. José Policarpo orou no sentido de o Senhor nos ajudar “a seguir o exemplo de Santa Joana Jugan, no amor que ela Vos testemunhou e na caridade de que deu provas em relação ao Vosso povo”.

A Diocese de Lisboa celebra este ano os 125 anos da presença das Irmãzinhas dos Pobres. A congregação nascida em França em 1849 viria a instalar-se em Lisboa em 1884 e 11 anos mais tarde no Porto. Num ritmo de expansão que hoje prossegue, no último ano foi aberto um centro em  Bolinao, nas Filipinas.

Bento XVI, na missa de Canonização de Joana Jugan, expressou o desejo de que a sua obra seja “para todas as pessoas idosas uma fonte de vida e de esperança e para as pessoas que se põem generosamente ao seu serviço um poderoso estímulo para prosseguir e desenvolver a sua obra”. As irmãzinhas dos Pobres tiveram nos últimos anos um importante crescimento na Índia no apoio aos mais carenciados. Mas o país enfrenta um ódio crescente para com os católicos. No último ano, no estado de Orissa, foram destruídas 500 igrejas.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)