Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Imã da mesquita do Porto usou papéis falsos para viver no país

Cidadão de nacionalidade marroquina obteve extratos de remuneração falsificados.
8 de Março de 2017 às 10:18
Homem obteve extratos de remuneração falsificados, passados por uma empresa portuguesa
Homem obteve extratos de remuneração falsificados, passados por uma empresa portuguesa FOTO: Getty Images
O atual imã da mesquita do Porto, Abelkader Mustaphi, foi condenado por falsificação de documentos, numa rede de auxílio à imigração ilegal que o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) desmantelou.

Segundo o acórdão citado pela imprensa desta quarta-feira, o cidadão de nacionalidade marroquina obteve extratos de remuneração falsificados, passados por uma empresa portuguesa.

Com estes papéis, Abelkader conseguiu pedir ao SEF uma autorização de residência permanente.

O imã, que emigrou para Portugal em 2001 e é tido em boa conta na comunidade religiosa portuense pela sua ajuda a pessoas carenciadas, foi condenado a pagar 1560 euros.

A rede desmantelada pelo organismo seria liderada por Bruno Serafim, de 35 anos, que geria a empresa implicada no processo. Dos 12 arguidos do processo, só Bruno Serafim foi condenado a uma pena de prisão.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)