Imigrantes e estudantes brasileiros unem-se em Portugal contra ascensão da extrema-direita

A FIBRA, explicou o representante, é um "grupo pacífico, sem ideias de confrontação física".
Por Lusa|13.01.19
  • partilhe
  • 7
  • +
Um grupo de estudantes e imigrantes brasileiros criou um movimento em Portugal para combater a ascensão da extrema-direita nos dois países e para ajudar compatriotas que saiam do Brasil devido à situação política, disse à Lusa um responsável.

"O propósito da Frente de Imigrantes Brasileiros Antifascistas do Porto [FIBRA] é atuar no contexto português, acompanhando o que acontece no Brasil, em relação à ascensão da extrema-direita. No Brasil já ascendeu ao poder, aqui começam a haver alguns sinais. A Europa está infestada de grupos que já beliscaram o poder, e surgimos para fazer frente a isso e ajudar os grupos que já existem no contexto português", referiu à Lusa Juliano Mattos, 36 anos, um fotógrafo com mãe portuguesa e residente em Portugal há 18 anos.

Criado há cerca de dois meses, o grupo pretende, além de ações de rua, promover comunicação e propaganda através das redes sociais e realizar outros eventos, como projeções de filmes ou documentários, tal como ajudar novos imigrantes brasileiros que cheguem a Portugal.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!