Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Incendiou casa de autarca por vingança

Um ex-fiscal de obras da Câmara Municipal de Lagos, aposentado compulsivamente na sequência de um processo disciplinar movido pela autarquia, foi detido ontem pelo Departamento de Investigação Criminal de Portimão da Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de ter ateado fogo à casa do presidente da edilidade lacobrigense, Júlio Barroso.
15 de Fevereiro de 2007 às 00:00
A casa de Júlio Barroso, situada na zona da Ameijeira, Lagos, sofreu danos bastante avultados
A casa de Júlio Barroso, situada na zona da Ameijeira, Lagos, sofreu danos bastante avultados FOTO: José Carlos Campos
Segundo informou ontem à tarde a Directoria Nacional da PJ, o presumível incendiário, de 50 anos, “terá sido motivado por sentimentos de vingança”.
Contactado pelo Correio da Manhã, Júlio Barroso confirmou a situação e esclareceu que o fogo na sua residência, situada na zona da Ameijeira, deflagrou “cerca das 21h30 do passado domingo, dia 11”. De acordo com o autarca, a casa “encontrava-se em obras, tendo sido ateado fogo a um roupeiro onde se encontravam, além de várias peças de vestuário, livros e objectos pessoais”.
O presidente da Câmara disse não saber ao certo como é que o incêndio foi ateado, mas admite que o suspeito “tenha aberto o roupeiro, o qual se encontrava selado e envolto em plásticos” devido aos trabalhos em curso na habitação, onde não se encontrava ninguém àquela hora.
A PJ tomou conta da ocorrência, desenvolvendo nos últimos dias investigações que culminaram com a detenção do antigo fiscal de obras, que já confessou a autoria do crime. O detido é hoje presente ao tribunal, para primeiro interrogatório.
PREJUÍZOS AVULTADOS NA CASA
Júlio Barroso não quis quantificar os prejuízos provocados pelo incêndio, limitando-se a referir que os mesmos foram “bastante avultados”. No roupeiro onde se presume que o alegado incendiário tenha ateado o fogo, encontravam-se materiais bastante inflamáveis, que contribuíram para a rápida propagação das chamas. O sinistro, que de acordo com o autarca lacobrigense começou cerca das 21h30, foi dado como extinto pelas 23h55, tendo os danos ficado circunscritos à própria habitação do autarca. De acordo com informação do Centro Distrital de Operações de Socorro de Faro, os Bombeiros Voluntários de Lagos combateram as chamas com oito homens e duas viaturas. A Protecção Civil Municipal e a PSP estiveram também no local.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)