Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

INEM CONTESTADO POR BOMBEIROS

O presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Viseu, Rebelo Marinho, defendeu ontem que o INEM deve deixar de se intrometer na actividade dos bombeiros, para evitar situações caricatas como a registada domingo, num jogo de futebol.
27 de Março de 2003 às 00:23
O INEM alerta para a necessidade de uma melhor informação
O INEM alerta para a necessidade de uma melhor informação FOTO: Pedro Catarino
Um jogador do Ranhados que se lesionou na partida com o Viseu e Benfica (da II Divisão Distrital), fracturando uma perna, esteve cerca de meia hora à espera de assistência, devido a uma confusão com o nome da localidade.
José Carlos, presidente do Ranhados, disse à Lusa que "a pessoa que ligou para o 112 informou que o jogador estava lesionado no campo de futebol da Muna".
"A ambulância foi parar a Muna de Campo de Besteiros, no concelho de Tondela, e não ao campo de futebol da Muna, na freguesia de Vila Nova do Campo, no concelho de Viseu", lamentou.
O dirigente frisou que, "felizmente, a situação não era muito grave, mas se fosse uma hemorragia ou um enfarte a pessoa podia morrer".
A situação caricata levou Rebelo Marinho, antigo presidente do Serviço Nacional de Bombeiros (SNB), a criticar que, nestas situações, "seja o CODU (Centro de Orientação de Doentes Urgentes) do INEM, em Coimbra, a mobilizar os corpos de bombeiros".
Para Pedro Coelho dos Santos, do gabinete de comunicação do INEM, a responsabilidade do instituto na confusão de Muna "é muito pouca", uma vez que foi gerada pela má informação prestada pela pessoa que deu o alerta, inviabilizando que tivesse sido accionada a ambulância que estava mais perto.
"É um exemplo que serve para alertarmos as pessoas para a necessidade de indicarem pontos de referência", afirmou à Lusa, salvaguardando que, no entanto, estas situações não são frequentes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)