Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Início do ano em risco

Os deputados Oliveira Martins (PS) e Luísa Mesquita (PCP) consideraram ontem, na Comissão Permanente da Assembleia da República (AR), que o início do próximo ano lectivo está em risco.
7 de Janeiro de 2005 às 00:00
“O concurso [de colocação de professores] já devia estar aberto, mas vai começar quando o anterior começou, no final de Fevereiro ou no princípio de Março. Ou seja, podemos esperar por um concurso similar”, afirmou a parlamentar comunista.
Oliveira Martins evocou as conclusões da auditoria da Inspecção-Geral de Finanças acerca da trapalhada que marcou a colocação de docentes para notar que “não foram ponderados os erros de modo a evitar perturbações em futuros anos lectivos”.
Depois da conferência de Imprensa de anteontem, o ministro dos Assuntos Parlamentares, Morais Sarmento, considerou “dispensável” a presença da ministra da Educação no Parlamento para explicar as conclusões da auditoria.
Maria do Carmo Seabra entendeu não ser “interessante” ir ao Parlamento. Declarações que o presidente da AR, Mota Amaral, considerou “absolutamente lamentáveis”.
Garantindo que o Governo já tomou medidas para assegurar a normalidade do próximo ano lectivo, Morais Sarmento disse que Maria do Carmo Seabra irá ao Parlamento quando a investigação relacionada com o processo de colocação de professores estiver concluída. Ainda falta conhecer os resultados do trabalho de uma comissão de inquérito constituída a pedido do Governo.
Ver comentários