Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Injectavam em casa

Quatro homens, entre os 23 e os 40 anos, foram ontem detidos pela Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da PSP de Oeiras, acusados de tráfico de droga. Para além de negociarem estupefacientes na zona da Portela de Carnaxide, os suspeitos providenciavam, sempre que lhes era pedido, uma ‘sala de chuto’ aos seus clientes.
3 de Abril de 2005 às 00:00
O dispositivo policial empregue na operação de ontem ‘trancou’ a Avenida dos Cavaleiros
O dispositivo policial empregue na operação de ontem ‘trancou’ a Avenida dos Cavaleiros FOTO: Pedro Catarino
Há três meses que os agentes da EIC da PSP de Oeiras andavam com estes quatro indivíduos debaixo de olho. Tudo começou depois de uma apreensão de 50 gramas de haxixe, feita em Janeiro, na Avenida dos Cavaleiros, na Portela de Carnaxide.
Várias semanas de investigação permitiram aos ‘Furões’ de Oeiras localizar a origem dos estupefacientes apreendidos. A rede referenciada estava, também ela, localizada na própria Avenida dos Cavaleiros.
Liderado por dois irmãos, de ascendência caboverdiana, o grupo centralizava os negócios de venda de estupefacientes em duas residências daquela artéria da Portela de Carnaxide. “As encomendas eram feitas por telefone. As entregas aconteciam depois na Portela de Carnaxide, ou em zonas dos arredores como Linda-a-Velha, Carnaxide, Paço de Arcos, e até em Oeiras”, disse ao CM fonte policial.
Uma particularidade encontrada pelos investigadores da EIC de Oeiras no funcionamento deste grupo reside no facto de, sempre que necessário, os compradores consumirem a droga em casa de um dos cabecilhas. “Muitas vezes, depois do negócio ser feito, os toxicodependentes injectavam-se no interior de uma casa, que funcionava como sala de chuto”, salienta o mesmo informador.
Ontem, já na posse de quatro mandados de busca e de dois mandados de detenção, a PSP partiu para o terreno.
Cinquenta agentes ‘trancaram’ a Avenida dos Cavaleiros, detendo os dois cabecilhas da rede, que serão amanhã presentes ao Tribunal de Oeiras. Outros dois homens, de 23 e 40 anos, implicados na actividade delituosa da rede, foram também detidos, e depois constituídos arguidos.
Para além de uma escassa quantidade de droga, foram apreendidos 1225 euros, sete armas brancas, duas armas de fogo, munições, vários telemóveis, e artigos em ouro provenientes de receptação.
SERINGAS NA 'SALA DE CHUTO'
A prova da existência de uma ‘sala de chuto’ na casa de um dos cabecilhas da rede, foi encontrada pelos agentes da PSP durante a rusga. Depois de deterem o proprietário do imóvel, os investigadores da PSP de Oeiras encontraram, numa das divisões da casa, inúmeros vestígios de consumo de estupefacientes.
Em cima de uma mesa, única peça de mobiliário existente na sala, várias seringas foram encontradas, dispostas de uma forma desordenada. Um casal de toxicodependentes foi mesmo acordado pela intervenção policial, quando “curtia a ressaca após mais uma dose de droga injectada”. “Há já algum tempo que esta situação durava”, disse ao CM fonte policial.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)