Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Inquérito à morte de jovem

A Inspecção-Geral de Saúde (IGS) vai abrir um inquérito à morte, por alegada negligência médica, de uma jovem de 26 anos, em Viana do Castelo. Segundo fonte oficial da IGS, as acusações da família dirigidas ao Hospital de Viana e ao INEM, ontem noticiadas pelo CM, levaram a IGS a abrir um inquérito, junto destas duas instituições, “para o cabal apuramento da verdade”.
3 de Fevereiro de 2005 às 00:00
Entretanto, o porta-voz do INEM, Pedro Coelho dos Santos, assegurou ao CM que “na Condução de Doentes Urgentes (CODU) do Porto, as medidas seguidas, de não considerar a situação urgente, foram as adequadas à descrição da situação”.
HOSPITAL CULPA DOENTE
Ao final da tarde de ontem, o gabinete de Relações Públicas do Hospital de Viana fez saber que “a jovem recusou fazer exames propostos pelos médicos, saiu do hospital sem ter alta, de livre vontade e depois de assinar o termo de responsabilidade”.
Esta versão é recusada pela família da vítima, que garante que “os médicos é que a mandavam para casa, dizendo que ela só precisava de tomar uns comprimidos e de ter paciência para aguentar as dores.
Manuela Maria Morgado, de 26 anos, tinha sido mãe de um rapaz, no dia 7 de Janeiro, através de cesariana, após uma gravidez de risco. Como tinha muitas dores, sobretudo na barriga, foi várias vezes ao hospital, mas nada de grave lhe terá sido diagnosticado.
Anteontem, após ter ido oito vezes às urgências em apenas quatro dias, Manuela Maria acabou por falecer, deixando a família indignada e com a intenção firme de processar o Hospital de Viana, acusando um médico de negligência.
As causas da morte da jovem só serão determinadas pela autópsia, que deve ter lugar esta quinta-feira.
Logo que sejam conhecidos os resultados, a direcção clínica do Hospital promete um comunicado a explicar toda a história deste caso.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)