Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Violou, agrediu e extorquiu prostitutas. Os relatos de terror das vítimas na 'Reta de Coina'

Homem que dizia ser o dono do local, no Seixal, obrigava as prostitutas a dar-lhe 40 euros por dia para ali venderem o corpo.
Diogo Carreira 24 de Julho de 2019 às 21:18
A carregar o vídeo ...
Homem que dizia ser o dono da Reta da Coina, no Barreiro, obrigava as prostitutas a dar-lhe 40 euros por dia para ali venderem o corpo.

Um homem que dizia ser o dono da Reta de Coina, no Seixal, obrigava as prostitutas a dar-lhe 40 euros por dia para ali venderem o corpo. Os relatos de terror só terminam quando foi preso, estando acusado de vários crimes e mantém-se em prisão preventiva.

Paula, Mariana, Luísa, Carla e Irene. São cinco nomes que vão representar cinco das vítimas reais do 'careca', o homem que durante quase uma década atormentou as prostitutas da reta.

O português de 40 anos cobrava a cada prostitua um valor diário. Algumas tinham de pagar logo quando chegavam à estação de comboios, a vários metros de distancia do local, sem terem trabalhado.

Em troca não recebiam nada. As queixas amontoaram-se na polícia depois de anos de medo: violações, agressões, perseguição e ameaça. Todas elas descreviam um ambiente de repressão.

Com Paula, por exemplo, o dono da reta obrigou-a a assumir uma relação amorosa com ele. Como não conseguiu bateu-lhe várias vezes, em locais públicos, mesmo à frente da filha menor de idade. Houve momentos em que a vítima teve de receber assistência hospitalar. Quando a mulher arranjou namorado, a situação piorou e as ameaças subiram de tom.

'Careca' tomava as mulheres como suas e vivia da prostituição, ou seja, extorquia-as. Quando Mariana tentou sair da reta a violência aumentou. Houve um dia, noutro local, que foi surpreendida pelo homem, no momento em que estava com um cliente. Começaram as ameaças: "tens de me pagar", dizia. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)