Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Irmão mais velho planeou matar

Os dois irmãos de Ferreira do Alentejo suspeitos de serem responsáveis pela morte de António Rosa Morais, de 27 anos, em Canhestros, ao final da noite de quinta-feira, vão ficar a aguardar julgamento em prisão preventiva.
14 de Janeiro de 2013 às 01:00
António (à esq.) e João Rosário (à dir.) saíram do Tribunal de Mértola já na madrugada de ontem
António (à esq.) e João Rosário (à dir.) saíram do Tribunal de Mértola já na madrugada de ontem FOTO: Hugo Rainho

O mais novo dos homicidas, João Rosário, de 19 anos, deverá ver a sua medida de coação modificada para prisão domiciliária em breve, apurou o CM. A defesa argumenta que não saberia das intenções de António, de 28 anos, e que apenas o acompanhou, sem saber que participaria numa emboscada pensada pelo irmão mais velho.

Recorde-se que a vítima mortal foi executada com dois tiros de zagalote, em frente à mulher e ao filho de dois anos, que, por milagre, escaparam aos disparos. O crime terá sido motivado pela crença de que a vítima era o autor de uma série de furtos na Herdade da Capela, em Ferreira do Alentejo, onde os dois irmãos trabalhavam. Mas as autoridades não encontraram até agora uma relação entre a vítima e os furtos. Assim, António Morais terá sido morto apenas por causa de um mal-entendido.

O primeiro interrogatório judicial aos dois suspeitos, em Mértola, só terminou ao fim de doze horas, já na madrugada de ontem. Os dois irmãos seguiram para a cadeia de Beja.

MORTE HOMICÍDIO EXECUÇÃO TIRO FERREIRA DO ALENTEJO
Ver comentários