Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

IURD acusada de enviar ilegalmente dinheiro para Portugal

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) é acusada de ter enviado irregularmente para fora do Brasil, inclusive para Portugal, cerca de 400 milhões de reais (171,5 milhões de euros), divulgou esta quarta-feira a imprensa brasileira.
28 de Abril de 2010 às 12:32
Verbas para o exterior que levantaram suspeitas ascendem a 171,5 milhões
Verbas para o exterior que levantaram suspeitas ascendem a 171,5 milhões FOTO: Vítor Mota/Correio da Manhã

Segundo o jornal ‘O Estado de São Paulo’, a IURD é acusada de ter enviado para o exterior cerca de 5 milhões de reais (2,143 milhões de euros) por mês entre 1995 e 2001 em remessas supostamente ilegais (que alcança o montante de 400 milhões de reais) feitas através da casa de câmbio Diskline para Portugal e Estados Unidos.           

A acusação foi feita pelos de sócios da casa de câmbio Diskline, Cristina Marini e Marcelo Birmarcker, que aceitaram colaborar com as investigações do Ministério Público no Brasil e da Promotoria de Nova Iorque (Estados Unidos) pela chamada delação premiada (terão benefícios em caso de condenação).        

Cristina Marini, sócia da Diskline, depôs na terça-feira ao Ministério Público Estadual de São Paulo e confirmou o que já havia dito à Justiça Federal brasileira e à Promotoria da cidade de Nova Iorque.

IGREJA NEGA ACUSAÇÕES         

O advogado Antônio Pitombo, que defende a IURD e seus dirigentes, nega as acusações. Os dois sócios resolveram colaborar depois de a Justiça americana ter investigado a actividade nos Estados Unidos com base no pedido de cooperação  internacional feito em Novembro de 2009 por autoridades brasileiras.          

Em Nova Iorque, ambos são investigados por suspeita de fraude e de desvio de recursos da IURD em território norte-americano.         

Cristina Marini afirmou aos promotores paulistas que começou a enviar dinheiro da Igreja Universal para o exterior em 1991 e as operações ter-se-iam intensificado entre 1995 e 2001.         

A sócia da Diskline disse que recebia pessoalmente o dinheiro (em espécie) e, ainda segundo a testemunha, algumas vezes foi buscar o dinheiro a subterrâneos de templos no Rio de Janeiro.         

Cristina Marini disse no depoimento aos promotores paulistas que depositou o dinheiro nos Estados Unidos e em Portugal.          

Além dela, os promotores e procuradores ouviram o depoimento de Marcelo Birmarcker, que confirmou a realização de supostas operações irregulares de câmbio para a IURD, mas não soube informar os valores.         

Em Agosto de 2009, a 9.ª Vara Criminal de São Paulo aceitou denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) e instaurou ação penal contra Edir Macedo (líder da IURD) e nove integrantes da Igreja Universal.          

Todos são acusados de formação de grupo criminoso e lavagem de dinheiro e a acusação sustenta que o dinheiro arrecadado dos fiéis da IURD seguiu para empresas no exterior e depois foi repatriado por empresas fictícias abertas em nome de dirigentes da Igreja Universal.  

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)