Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Jackpots do Euromilhões mais curtos

Os jackpots do Euromilhões vão ser encurtados já no início de Fevereiro. A partir do dia 3, a acumulação do primeiro prémio passa a ser limitada a onze em vez das actuais 12 semanas. A medida é justificada pelo facto de os montantes atingidos serem considerados “socialmente injustos”.
4 de Janeiro de 2007 às 00:00
Apesar da medida a adesão dos jogadores deve manter-se elevada
Apesar da medida a adesão dos jogadores deve manter-se elevada FOTO: Vítor Mota
Na portaria conjunta dos ministérios do Trabalho e da Solidariedade Social e da Saúde, publicada ontem em ‘Diário da República’, pode ler-se que é constatado “que o jack-pot acumulado pode atingir montantes mais elevados relativamente ao que socialmente se considera razoável”.
O administrador delegado do Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia, Vítor Porto, explicou ao CM que “a acumulação de muitos prémios seguidos era prejudicial”, justificando: “A moralidade de um valor na ordem dos 150 ou 180 milhões de euros é questionável. São montantes que consideramos serem socialmente injustos.”
Uma das questões que motivou a aplicação desta medida prende-se com a existência de “muitos fenómenos preocupantes nos vários países onde se joga o Euromilhões”.
Vítor Porto assegurou já se terem verificado “situações de endividamento muito graves quando os jackpots são elevados”. “Sempre que há uma sequência de acumulações de jackpots existe um número muito forte de apostadores e o valor por aposta é muito elevado”, acrescentou o administrador da Santa Casa, garantindo: “Em Portugal não temos conhecimento de situações tão graves, mas sempre fomos apologistas do jogo responsável. A adição é um fenómeno que nos preocupa e isso verifica-se em todos os países.”
Um nota curiosa prende-se com o facto de a medida não ter sido muito bem recebida em alguns países. “Os nórdicos e a Inglaterra não estavam muito de acordo, ao contrário dos países do sul” disse Vítor Porto, revelando que “esta medida também teve intervenção portuguesa e mereceu sempre o total apoio desde o início”.
A alteração de 12 para onze semanas vai ao encontro das expectativas da Misericórdia de Lisboa, que espera voltar a reduzir o período de acumulação de jackpots nos próximos anos. “Não acredito que a adesão seja menor com a adopção desta medida”, rematou Vítor Porto. O Euromilhões tem uma média de vendas semanais na ordem dos 18 milhões de euros.
MAIORES PRÉMIOS
DUAS VEZES 12
Apenas por duas vezes o jackpot do Euromilhões foi entregue ao fim de 12 semanas. A primeira vez aconteceu a 3 de Fevereiro de 2006 e voltou a repetir-se a 17 de Novembro. O maior prémio individual (115,4 milhões), por sua vez, foi conseguido por Dolores McNamara, às dez semanas.
QUATRO PORTUGUESES
Nos dois maiores prémios de sempre do Euromilhões quatro portugueses foram totalistas. O primeiro, no valor de 183,5 milhões, foi dividido por um português e dois franceses. O segundo, 183,1 milhões de euros, foi repartido por 20 totalistas, entre os quais três portugueses: um do Algarve, um do Porto e um do Ribatejo.
JÁ VAI EM 78 MILHÕES
O actual valor do jackpot já totaliza 78 milhões de euros. Será este o montante a receber caso se acerte na chave vencedora. Para reclamar o primeiro prémio o apostador tem 90 dias e precisa de se deslocar à Santa Casa com o talão. Após a confirmação, o prémio será entregue no prazo de 12 dias.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)