JOEY MENDONÇA: LISBOA TEM AROMAS ÚNICOS

Joey Mendonça, músico, é o autor da letra e música da Grande Marcha popular deste ano. Sobre a sua cidade adoptiva recorda emocionado: “Na noite de Santo António arrepio-me a ouvir os miúdos da Voz do Operário cantar a minha marcha e às vezes dou comigo a torcer pelo grupo do meu bairro, os Olivais”.
23.02.03
  • partilhe
  • 0
  • +
JOEY MENDONÇA: LISBOA TEM AROMAS ÚNICOS
Foto Jorge Paula
Correio da Manhã - Venceu por duas vezes a Grande Marcha de Lisboa, em 1996 e 98. Estava à espera que a sua melodia, ‘Lisboa, Cidade Branca’, ganhasse este ano entre 25 concorrentes?
Joey Mendonça – É sempre uma boa surpresa. Telefonaram-me na sexta-feira à noite da Câmara a dar os parabéns. Sempre que estou em Portugal concorro e desta vez a inspiração chegou na hora certa.

– O que o motiva a compor para as festas da cidade?
– Chegar a Lisboa de avião ao nascer do dia e ver um manto branco, de neblina, a cobrir a cidade.

– ...É a sua única fonte inspiradora?
– Não. Também as tertúlias, a vida nos bares e os cheiros da cidade. Lisboa, o Rossio e o Cais do Sodré, têm aromas únicos no Mundo.

– Tem por hábito vaguear pela cidade e observar os usos e costumes?
– Não perco uma viagem de autocarro ou de eléctrico pelos locais mais típicos. Mas o que gosto mais é palmilhar as ruas dos bairros típicos, de Campo de Ourique à Madragoa e daí à Bica, ou de Alfama à Mouraria. Gosto de ver a roupa estendida nas janelas e uma vizinha a pedir à outra um raminho de salsa. É único no Mundo. Lá fora ninguém fala com ninguém.

– Como é possível traduzir numa canção o espírito alfacinha?
– É difícil explicar. As palavras saem e com a frase entoada é só chegar ao piano e fazer a música.

– Qual a receita para criar uma marcha que possa ser trauteada por toda a gente?
– É a inspiração e ter o cuidado de construir uma linha melódica curta e simples. Nada pode ser arrevezado para poder entrar no ouvido.

– Então porque não aparece há muitos anos uma composição que entre facilmente no ouvido do povo?
-- Porque é escutada 15 dias e depois nenhuma editora discográfica, nem as rádios estão disponíveis para as voltar a oferecer ao público e morrem naturalmente.

PERFIL

José Rufino Mendonça, Joey Mendonça (nome artístico), tem 55 anos e é algarvio, nascido em Tavira. Com oito dias veio para Lisboa e cá ficou. Iniciou a carreira musical nos grupos pop Play-Boys, Gatos Negros e Os Celtas. Por essa altura frequentou a Academia de Amadores de Música e o Conservatório. Trabalhou com Badaró e Nicolau Breyner e ganhou diversos prémios musicais junto das comunidades portuguesas.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!