Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

JOVEM É TERROR EM CASA

A família do jovem de 17 anos que agrediu os irmãos de 8 e 15, em Castelo Branco, vive em pânico com as atitudes do rapaz, que recentemente se tornou num terror em casa.
7 de Setembro de 2003 às 00:00
Maria dos Anjos pede que lhe levem o neto, mas só o Tribunal o pode decidir
Maria dos Anjos pede que lhe levem o neto, mas só o Tribunal o pode decidir FOTO: Lídia Barata
"O Miguel não era assim, mas de há sete meses para cá, por causa das más companhias, ficou muito agressivo", indicou-nos a avó, Maria dos Anjos, adiantando que o neto lhe "chama nomes" e a ameaça de morte. "Eu não o posso pôr na rua, mas também não o posso ter aqui comigo assim."
A última agressão aos familiares, que o CM noticiou ontem, ocorreu na terça-feira, quando o jovem tentou estrangular a irmã com um fio de nylon, agrediu o irmão a pontapé e ameaçou e ofendeu a avó, como noticiámos no jornal de ontem.
Maria dos Anjos contou que o neto "roubou a chave da casa de uma tia que está em França e levou para lá os amigos, mexendo em tudo".
Mesmo em casa de Maria dos Anjos, o rapaz "anda sempre a dar volta a tudo. Até a comida que tenho cá em casa, para ele e para os irmãos, leva tudo para dar aos amigos".
Os três irmãos vivem desde pequenos com a avó, a quem foi dada a guarda pelo Tribunal por terem sofrido maus tratos da mãe.
Os dois irmãos de 8 e 15 anos, João e Tânia, estão a estudar e o Miguel frequentou o ensino recorrente no ano passado, mas a família suspeita que tenha tentado inscrever-se no Instituto de Emprego e Formação Profissional, para fazer um curso de formação.
Maria dos Anjos tem 75 anos, ganha uma reforma de miséria e cem euros por cada neto da Segurança Social. Apesar de ter alguns problemas de saúde faz limpezas e passa a ferro numa casa.
"Eu já não tenho forças para trabalhar, mas não posso deixar aquele emprego, porque o que se gasta é muito e o que recebo não dá para tudo. Não posso continuar assim", lamentou Maria dos Anjos, contando que "já nem têm conta" as queixas que apresentou na Polícia, por causa das agressões e dos maus tratos do neto.
FALTA DE PROTECÇÃO
Maria dos Anjos pediu ajuda à Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, pois queria que "levassem o Miguel", mas foi-lhe dito que tem de ser o Tribunal a decidir. "Como não sei ler nem nada tenho de aceitar o que me dizem."
A idosa emociona-se quando recorda o dia em que foi buscar os netos, que estavam a ser vítimas de maus tratos, e os levou para sua casa. Por isso não admite certas atitudes: "Se o Miguel me chama nomes e diz que me mata é muito mau para uma avó que criou os netos com tanto carinho e amor", conta.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)