Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Jovem epiléptico detido pelo SEF durante 37 horas

Um jovem epiléptico, de origem brasileira, esteve detido durante 37 horas no Aeroporto da Portela pelos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Ao que parece, Igor Oliveira, estudante de 19 anos, não terá conseguido explicar que vinha visitar a mãe. O jovem desembarcou às 05h00 de quarta-feira, mas só conseguiu entrar no País às 18h00 de ontem.
4 de Maio de 2007 às 00:00
Na base desta decisão estará o facto de Igor ter dado respostas confusas sobre os motivos da sua visita, nomeadamente não ter indicado claramente o local onde vive e onde iria ficar durante a estadia em Portugal. Segundo a mãe, que ontem foi buscar o jovem ao aeroporto, Igor “fica bloqueado” em situações mais tensas, pelo que “não percebeu sequer o que lhe estava a ser perguntado pelos inspectores do SEF”.
“Ele estava tão confuso que até disse que a mãe não estava em Portugal, quando queria dizer que a mãe não residia no Brasil”, disse, por sua vez, o padrasto.
Igor veio visitar a mãe que não via há dois anos. Ariadene de Oliveira, cidadã brasileira, vive em Loulé com João Cabrita, um agricultor português. A família, que o esperava no aeroporto, estranhou o tempo que Igor estava a levar para sair do avião, pelo que tentaram descobrir o seu paradeiro. O jovem deveria ter desembarcado às 05h00 de quarta-feira.
Segundo a família, o SEF negou ter alguém detido que correspondesse à descrição. Por volta das 13h00, porém, João Cabrita recebeu uma chamada do SEF a confirmar que Igor tinha sido detido “por ter prestado falsas declarações”.
Só ao final da tarde desse dia é que a mãe teve oportunidade de visitar o filho nas instalações do SEF na Portela.
De acordo com um comunicado emitido ontem pelo SEF, Igor não disse que era epiléptico e afirmou que viria passar férias com um amigo. Foi detido por não ter como comprovar os meios de subsistência durante a estadia.
PORMENORES
QUEIXAS
O rapaz chegou a falar com a mãe por telefone, durante as horas em que esteve detido. Disse que tinha fome e estava cansado, querendo apenas voltar para casa. Queixa-se de maus tratos e abusos psicológicos por parte de elementos do SEF.
CARTA
Os pais, que estiveram no aeroporto desde a madrugada de quarta-feira, escreveram uma carta a pedir ajuda. O documento foi enviado para o Presidente da República, Ministério da Administração Interna e para o embaixador brasileiro.
APOIO
A família foi apoiada pela Associação Brasileira de Portugal, que providenciou um advogado. Só com a intervenção do jurista é que a decisão de expulsar o jovem de volta para o Brasil, para ser entregue à Polícia Federal, não chegou a acontecer.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)