Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Jovens delinquentes tentam lançar motim

Alguns dos mais temíveis delinquentes juvenis de Portugal já tinham o esquema todo estudado e montado ao pormenor: na madrugada em que o País estivesse a festejar a entrada em 2010, cerca de 30 detidos no Centro Educativo Navarro de Paiva, em Lisboa, com idades entre os 14 e 16 anos, iriam amotinar-se para escapar do instituto tutelado pelo Ministério da Justiça.
6 de Janeiro de 2010 às 00:30
Foi por trás destes portões bem protegidos que os jovens se revoltaram e agrediram os seguranças
Foi por trás destes portões bem protegidos que os jovens se revoltaram e agrediram os seguranças FOTO: Jorge Paula

O alerta chegou pouco depois à central da PSP sob a forma de ‘Motim no Centro’, mas já ninguém conseguiu evitar que um segurança fosse espancado a murro, pontapé, à cabeçada e à dentada.

Assim que os ponteiros dos relógio marcaram 01h30 do dia de Ano Novo, a maior parte dos 42 jovens detidos avançou em bloco contra os únicos três elementos – um deles preparava-se para deixar o serviço – de uma empresa de segurança privada que estavam nas instalações. A revolta foi de tal forma violenta que um dos elementos da segurança foi obrigado a receber assistência médica no Hospital de Santa Maria, em Lisboa: foi espancado a murro e pontapé por vários jovens, levou uma cabeçada na boca e ainda lhe morderam a mão.

Numa primeira fase, o descontrolo foi total. Os seguranças não conseguiram controlar a ira dos jovens, mas um deles conseguiu ligar ao director do instituto e à PSP. Devido às fortes medidas físicas de segurança – portões electrónicos, muros altos com arame farpado, entre outros – e à chegada do director, Paulo Rio, os jovens acabaram demovidos das suas intenções.

Uma equipa de intervenção rápida da PSP, formada por sete agentes fortemente armados, bem como três patrulhas da 3ª Divisão de Benfica já se tinham deslocado para o local, onde tiveram de aguardar a abertura dos portões bem protegidos. Quando entraram, já a situação estava controlada.

Contactada pelo CM para comentar este incidente, a Direcção--Geral de Reinserção Social, que gere o Centro, não respondeu até à hora de fecho desta edição.

PORMENORES

FALTA DE SEGURANÇA

Em finais de 2008, funcionários de três centros educativos de Lisboa protestaram contra um alegado clima de insegurança.

199 JOVENS DETIDOS

Em Julho, Portugal albergava nos seis centro educativos 199 jovens criminosos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)