Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Judiciária apanha 4 toneladas de haxe

A Polícia Judiciária apreendeu, entre quarta-feira e ontem, 4,12 toneladas de haxixe e deteve dez estrangeiros – sete marroquinos, dois ingleses e um alemão – suspeitos de tráfico internacional de droga. Foram apreendidas duas embarcações, um camião e um automóvel ligeiro.
21 de Abril de 2007 às 00:00
A Judiciária conseguiu desmantelar duas organizações distintas em duas noites
A Judiciária conseguiu desmantelar duas organizações distintas em duas noites FOTO: Rui Pando Gomes
Os suspeitos foram interceptados em duas operações realizadas no Sotavento algarvio, pela Direcção Central de Investigação do Tráfico de Estupefacientes (DCITE) e Directoria de Faro.
Na última operação, realizada anteontem à noite em Olhão e Moncarapacho, a PJ apreendeu mais de 2500 quilos de haxixe, acondicionados em 84 fardos, que estavam a ser transportados num camião com matrícula inglesa. Dois ingleses e um alemão foram detidos.
Quando foram interceptados pela PJ, os ocupantes do camião – um inglês, de 30 anos, e o alemão, de 25 – não ofereceram resistência. Comportamento diferente teve o outro inglês, de 35 anos, condutor de um Audi A4, que fazia ‘segurança’ ao veículo pesado. O britânico empreendeu uma fuga ao longo de dez quilómetros, tentando por várias vezes abalroar as viaturas da PJ. Só foi travado quando os inspectores disparam vários tiros contra os pneus do Audi. Uma das balas atingiu o suspeito no abdómen que sofreu apenas ferimentos ligeiros.
Segundo José Brás, director nacional adjunto da DCITE da PJ, o haxixe deveria destinar-se a Inglaterra e seria proveniente de Marrocos.
De Marrocos eram também os sete homens detidos quarta-feira pela Directoria de Faro da PJ. Foram detectados às 19h30, a 2,5 milhas de Monte Gordo, em duas embarcações semi-rígidas, junto a uma chata (barco de pesca). Apercebendo-se da presença das autoridades, os tripulantes, com idades entre os 17 e os 36 anos, fizeram o transbordo da droga para a chata, que subiu o rio Guadiana com um dos marroquinos a bordo. Os outros seis, que ficaram nos semi-rígidos foram detidos e as duas embarcações apreendidas.
A PJ encontrou os 46 fardos na margem portuguesa do rio, onde se encontrava ainda o sétimo marroquino, que foi detido. A chata terá rumado a Espanha.
APANHADOS MEMBROS DE DUAS REDES
Na margem portuguesa do rio Guadiana a PJ, que contou com a colaboração da Polícia Marítima e da Brigada Fiscal da GNR, apreendeu 1512 quilos de haxixe, bem como vários aparelhos de telecomunicações, incluindo dois GPS e um telefone celular via satélite.
Os sete marroquinos, em barcos de pequena potência, terão andado no mar durante dois dias até chegarem à costa algarvia. Tentaram afundar uma das embarcações e deitaram o motor ao mar, assim como alguns fardos, acredita o director nacional adjunto da PJ de Faro, Guilhermino da Encarnação.
A droga apreendida nas duas operações teria como destino o mercado europeu, devendo seguir do Algarve para Espanha. Apesar de as operações terem decorrido quase em simultâneo, a PJ garante que se tratam de duas redes de tráfico internacional distintas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)