Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Julgados por falta de perícia

Os condutores das duas viaturas envolvidas no acidente ocorrido em Novembro de 2007, na A23, vão ser julgados por 17 crimes de homicídio por negligência e seis por ofensas à integridade física, revelou ontem o juiz de instrução criminal do Tribunal de Castelo Branco.
25 de Abril de 2009 às 00:30
O acidente na A23, em Novembro de 2007, causou a morte a 17 pessoas que seguiam num autocarro
O acidente na A23, em Novembro de 2007, causou a morte a 17 pessoas que seguiam num autocarro FOTO: Cosme Durão

No despacho do debate instrutório, com 150 páginas, Jorge Martins considerou que ambos os condutores agiram sem cuidado e perícia para controlar os veículos. Segundo o magistrado, o motorista do autocarro, que transportava 36 alunos da Academia Sénior de Castelo Branco, seguia na faixa da direita, mas ter-se-á aproximado do eixo da via, quando a viatura ligeira já tinha iniciado a ultrapassagem.

E a condutora do carro, que levava três passageiros, embora tivesse espaço para ultrapassar, perdeu o domínio da viatura embatendo no autocarro. Os veículos despistaram-se, provocando a morte a 17 pessoas e ferimentos em mais 23. 'Hoje em dia, pequenos actos negligentes podem causar catástrofes', afirmou o juiz, justificando o número de crimes imputados aos dois arguidos com a dimensão do acidente.

À saída da sessão, nenhum dos advogados confirmou se vai recorrer da decisão. Apenas João Carlos Macedo, advogado da maior parte das vítimas, se manifestou satisfeito com o desfecho da instrução: 'É uma decisão justa.'

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)