Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Justiça popular acaba em tortura

Irmãos suspeitaram de que vizinho assaltou carro. Espancaram-no.
Sérgio A. Vitorino 9 de Setembro de 2016 às 08:53
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária FOTO: Luís Vieira
Dois irmãos da Ribeira Grande, ilha de S. Miguel, Açores, depararam-se no domingo com o carro de um deles assaltado. E fizeram ‘justiça’ pelas próprias mãos: perseguiram um vizinho já com antecedentes por furtos, amarraram-no e torturaram-no à pancada com tal violência que a vítima teve de ser transferida para um hospital de Lisboa.

Segundo apurou o CM, os agressores, de 32 e 36 anos, acabaram presos em flagrante pela PJ de Ponta Delgada: ainda estavam com a vítima, numa zona erma da Ribeira Grande. Presentes a tribunal por sequestro e ofensas à integridade física graves, ficaram em liberdade e proibidos de contactar a vítima.

Os irmãos não tinham cadastro, vivem da terra e agiram num contexto de justiça popular para que o ‘ladrão’ devolvesse os artigos furtados. Ao verem o carro assaltado, foram imediatamente à procura da vítima, de 50 anos – as autoridades ainda não conseguiram apurar se o homem, conhecido por furtos, assaltou efetivamente a viatura.

Levaram-no à força e sequestraram-no num local ermo. Populares alertaram as autoridades e, enquanto as polícias batiam o terreno, os suspeitos amarraram a vítima e agrediram-na com violência "desmesurada", descreveu fonte próxima do caso.

O homem foi brutalmente espancado a murro, pontapé e com objetos em todo o corpo, mas especialmente na cabeça e face. Os ferimentos são de tal forma graves que não foi possível tratá-los no Hospital de Ponta Delgada e a vítima ainda está internada em Lisboa.
Ribeira Grande S. Miguel Açores PJ Ponta Delgada polícia crime
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)