Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

LADRÃO DA MOTA FICA EM PRISÃO PREVENTIVA

Tem 27 anos, é alto, franzino, uma cara de miúdo. Mas o juiz do Tribunal do Seixal não se condoeu com a aparência, nem com a necessidade de roubar para sustentar o vício da heroína. Talvez o magistrado tenha pensado bem mais nos muitos comerciantes a quem o detido ameaçava com uma navalha que dizia infectada com sida – e determinou-lhe a prisão preventiva.
20 de Setembro de 2004 às 00:00
Mas não foram apenas os comerciantes de vários pontos da Margem Sul as únicas vítimas deste ‘cara de anjo’, detido na sexta-feira pela Esquadra de Investigação Criminal da PSP da Torre da Marinha. A história começou muito antes, como os agentes vieram a perceber depois da detenção.
Foi em meados de Agosto que a ‘carreira’ começou, quando, num anúncio de jornal deu conta da venda de uma Honda Africa Twin: uma moto todo-o-terreno, vistosa e com um motor poderoso. Marcou encontro, em Lisboa, com o proprietário em Lisboa. Mostrou-se interessado na compra e pediu ao vendedor se podia experimentar a máquina. O outro foi na conversa.
O ‘teste’ durou até à última sexta-feira e as provas parece terem sido concludentes, uma vez que a Africa Twin, não obstante as mazelas provocadas por umas quantas quedas e um natural escasso cuidado, mantinha-se em condições de funcionamento. Foi um elemento activo nos assaltos praticados pelo novo proprietário.
O testemunho é dos comerciantes: “Ele entrava numa loja, sem capacete, de uma forma muito natural, e fingia que queria comprar qualquer coisa”. Só depois é que mostrava os seus reais intentos, exibindo uma navalha e dizendo que ela estava “infectada com sida”. Depois, exigia todo o dinheiro da caixa. Agarrá-lo é que era complicado, que o assaltante fugia rapidamente na Africa Twin.
Por outro lado, o jovem criminoso nem mostrava uma rotina nos assaltos – há um registo oficial de seis queixas só na área da PSP, mas é possível que surjam mais casos –, algo que baralha sempre a polícia, quando o objectivo é tentar prever o que vai o ladrão fazer a seguir.
“Assaltava durante a manhã ou durante a tarde, era conforme”, adianta um agente. “Um dos assaltos foi às 8h30”, exemplifica.
Um dia, no entanto, descuidou-se ou uma comerciante teve a coragem de vir à rua ver melhor quem acabava de a assaltar. Descobriu a moto ainda a passar, de cores “azul e alaranjada ou vermelha”. Na sexta-feira, em Belverde, a PSP foi esperá-lo perto da zona onde vive. Na algibeira, ainda tinha a navalha, aberta e pronta a ‘operar’, mas não teve tempo para nada, que os agentes não lhe deram hipóteses. Nem os agentes nem o juiz, que tomou a decisão ao fim da tarde de sexta-feira: prisão preventiva.
DROGA
É muito provável que o processo deste assaltante detido pelos agentes da Torre da Marinha não fique por aqui, não obstante o seu cadastro estar até ontem limpo e as únicas referências serem relativas ao consumo de droga. É que a moto furtada, a Africa Twin, ostentava uma matrícula de uma outra moto, uma KTM, questão que a PSP ainda não conseguiu esclarecer. E há também referências a um veículo semelhante, uma TDM preta, participante em outros assaltos do mesmo género.
Ver comentários