Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Ladrões espancam idosos no quarto

Quando os dois assaltantes encapuzados entraram no quarto à procurada de dinheiro, no domingo à noite, já o casal de idosos, com mais de 80 anos, estava na cama a descansar. O que aconteceu de seguida, em Carvalheira, Cantanhede, foi de extrema violência: Olívia Simões, de 88 anos, e o marido, Albino Custódio, de 86, foram espancados e arrastados pelo chão. O filho do casal, Celestino Custódio, encontrou-os "cheios de sangue e assustados".
24 de Janeiro de 2012 às 01:00
Celestino Custódio (na foto), 60 anos, foi alertado pelo pai, em pânico.
Celestino Custódio (na foto), 60 anos, foi alertado pelo pai, em pânico. FOTO: Ricardo Almeida

"Só perguntavam onde estava o dinheiro. Queriam o dinheiro", conta Celestino Custódio, 60 anos. Ao mesmo tempo ameaçaram os idosos com "um objecto que tinham na mão", mas que as vítimas não conseguiram ver se seria uma arma de fogo ou uma faca. Como não encontraram dinheiro, espancaram o casal. "Bateram-lhes na cabeça e no corpo. Foi por onde os apanharam. Foi uma selvajaria o que fizeram", descreveu ao CM o filho, que se deslocou à habitação depois de receber um telefonema do pai em pânico a pedir socorro.

Olívia Simões sofreu hematomas e lesões internas, o que, segundo o filho, motivou uma cirurgia à cabeça, realizada no hospital, em Coimbra. Albino Custódio também apresentava ferimentos, mas recebeu alta hospitalar ontem à tarde.

Os vizinhos do casal só se aperceberam do assalto quando as autoridades chegaram. "Deixaram-nos a escorrer sangue", contou uma vizinha, que viu as vítimas a serem socorridas.

Para chegar à habitação os assaltantes saltaram um muro que dá acesso a um pátio interior. Depois, entraram através da janela da casa de banho, que se encontrava um pouco aberta, usando uma cadeira. Os ladrões dirigiram-se ao quarto, onde as vítimas já estavam a levantar--se, alertadas pelo barulho, e atacaram-nas.

JÁ ENCOMENDEI GRADES PARA PÔR NAS JANELAS

A população de Carvalheira sente-se "cada vez mais insegura". Depois das burlas aos idosos, dos furtos em casas e dos assaltos aos galinheiros, os moradores estão "aterrorizados" com a violência de que foram vítimas os seus vizinhos. "Já fui hoje encomendar grades para colocar nas janelas", diz Altino Pedro. A filha de 15 anos de Fátima Simões já tem medo de ficar em casa sozinha. Há até quem esteja a pensar "pôr de lado 300 euros destinado aos ladrões" para evitar agressões. A própria presidente da Junta de Freguesia de Camarneira, Jacqueline Marralheiro, está a equacionar a hipótese de pedir uma reunião com as autoridades para "ver se é possível fazer rondas mais frequentes": "Isto começa a ser assustador".

CASA ASSALTADA PELA SEGUNDA VEZ NUM ANO

Não foi a primeira vez que os idosos foram vítimas de um assalto, mas desta vez as consequências foram mais graves. Segundo os vizinhos, há cerca de um ano a casa terá sido assaltada, tendo sido furtado um fio em ouro. Nessa altura, Olívia Simões terá visto alguém a saltar o muro na fuga. "Foi na altura em que as pessoas deixavam as portas abertas e iam para o quintal", diz Fátima Simões, vizinha do casal. Desta vez "eles deviam estar à espera de que os filhos fossem embora para fazerem a tragédia", acrescenta outro morador, Manuel Simões. 

Cantanhede ladrões idosos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)