Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Ladrões tinham arsenal

Meio ano de investigação levou ontem a PSP de Setúbal – com o apoio do Grupo de Operações Especiais e do Corpo de Intervenção – a passar a pente fino 43 residências da Área Metropolitana de Lisboa para apanhar um grupo de homens suspeitos de uma série de assaltos.
14 de Março de 2007 às 00:00
A PSP apreendeu as munições das armas de guerra, que estavam prontas a usar
A PSP apreendeu as munições das armas de guerra, que estavam prontas a usar FOTO: José Luis Costa / Lusa
Ao início da noite de ontem, ainda a operação não tinha terminado, já tinham sido detidos seis dos principais suspeitos e apreendidas dezenas de armas, – algumas com elevado poder de fogo e outras verdadeiras relíquias – e material electrónico.
Entre as dezenas de armas apreendidas, destacam-se armas de guerra ilegais e caçadeiras novas, mas com os canos serrados. A PSP vai agora averiguar a origem das armas apreendidas numa das buscas, na Quinta do Conde, mas acredita que algumas tenham sido usadas em assaltos na zona de Setúbal e Grande Lisboa.
Segundo a comandante da PSP de Setúbal, subintendente Canelas, as buscas e o material apreendido são apenas uma parte da investigação que ainda está a decorrer.
O CM soube que além de buscas no Bairro da Belavista, em Setúbal, foram revistadas casas nos arredores de Setúbal, em Salvaterra de Magos e em Torres Novas.
Ontem à noite a PSP já tinha detido seis suspeitos, entre os 20 e os 40 anos, que terão sido responsáveis por vários furtos e roubos nos últimos meses. Alguns, segundo apurou o CM, a estabelecimentos comerciais – nos quais usavam carros furtados com que abalroavam as montras dos estabelecimentos. Também são suspeitos de assaltos a cafés.
Algum do material furtado foi recuperado. Nos produtos expostos pela PSP, destacam-se dez ecrãs plasmas, uma máquina de filmar profissional, vários telemóveis, auto-rádios e peças em ouro.
A PSP acredita que os resultados da operação são apenas uma pequena parte de um processo que está nas mãos da Esquadra de Investigação Criminal de Setúbal há meses. Os assaltos têm causado um grande sentimento de insegurança aos moradores da cidade e arredores.
GOE CERCOU BAIRRO DA BELAVISTA
Na operação que começou logo pela manhã em Setúbal foram mobilizados cerca de 250 polícias do Comando Distrital de Setúbal, do Corpo de Intervenção e até do Grupo de Operações Especiais (GOE). “Os elementos do GOE foram fundamentais para as buscas que se revestiram de um elevado grau de perigosidade e até para garantir a segurança dos restantes elementos”, frisou a comandante da Divisão, Intendente Canelas. Um dos locais visados foi o bairro da Belavista, onde a operação começou logo pelas 07h00. O objectivo era encontrar material furtado e roubado e executar alguns mandados de detenção. A PSP executou seis mandados, alguns fora de Setúbal. O ‘cabecilha’ do grupo de assaltantes foi um dos detidos, soube o CM junto de uma fonte policial. Todos eles serão hoje presentes a tribunal para aplicação de medidas de coacção. A maior parte das armas apreendidas – de guerra e de caça – estavam na casa de um dos detidos. Temendo prejudicar a investigação, a PSP escusou indicar o número de crimes que os suspeitos terão cometido, mas suspeita-se que tenham sido os autores de vários assaltos à mão armada praticados nos últimos meses em Setúbal e na Área Metropolitana de Lisboa.
RELÍQUIAS
Entre as armas apreendidas há verdadeiras relíquias que surpreenderam a PSP. A Polícia vai agora investigar a origem dos revólveres, pistolas e munições.
STEN
Na casa de um dos suspeitos detidos foi apreendida uma metralhadora Sten – uma arma usada na II Guerra Mundial pelos britânicos contra o exército alemão.
MG34
Para espanto da PSP, entre o arsenal apreendido estava uma Maschinengewehr 34, ou MG34 – uma metralhadora alemã, pela primeira vez usada em 1934.
PORMENORES
GRUPO
A PSP ainda está a investigar os autores dos assaltos. Falta saber se actuavam os seis em co-autoria ou se separavam nalguns assaltos de que são suspeitos. A Polícia não descarta a hipótese de mais detenções.
PLASMA
O grupo actuava em vários estabelecimentos comerciais à procura de produtos que pudessem vender, como ecrãs plasma. Em alguns actuaram durante a noite, noutros ameaçaram os donos com armas. As provas estão a ser analisadas para perceber quantos crimes terão cometido.
INSEGURANÇA
Os suspeitos detidos movimentavam-se pelo Bairro da Belavavista, em Setúbal, com algum sentimento de poder. As queixas começaram a chegar à PSP que esperou pelo “momento certo” para desencadear a operação. Os moradores sentiam-se muito inseguros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)