Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Lei não pune telemóveis nas cadeias

A utilização de telemóveis por parte de presos é proibida no interior das cadeias, mas a lei não prevê punições para quem for apanhado a tentar introduzir os aparelhos dentro do estabelecimento prisional.
12 de Julho de 2010 às 00:30
Aparelhos valem 500 € na prisão
Aparelhos valem 500 € na prisão FOTO: Luis C. Ribeiro

"O telemóvel é um equipamento legal fora da prisão. Se alguém for detectado a tentar passar um telefone para um recluso, basta desistir da visita e ir embora que não lhe acontece nada", afirma um guarda prisional.

O telefone móvel é um bem precioso para os presos, quer para os contactos com a família, quer para manter sob controlo os negócios no exterior. Cada unidade pode ser comercializada por preços entre os 200 e os 500 euros. Em 2008, foram apreendidos 1092 aparelhos telefónicos aos reclusos em todo o sistema prisional. Mas, à entrada das cadeias, a fiscalização é mais complicada. Os guardas prisionais não têm o estatuto de órgão de polícia criminal, e qualquer pessoa pode recusar ser revistada, desde que desista da visita.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)