Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Leonor Cipriano reclama saídas periódicas da cadeia

Leonor Cipriano, a cumprir pena de 16 anos de prisão pelo homicídio e ocultação do cadáver da sua filha Joana, requereu a concessão de licença jurisdicional, que lhe permitirá saídas periódicas do Estabelecimento Prisional de Odemira.
4 de Maio de 2010 às 00:30
Mãe de Joana já cumpriu um quarto da pena pelo homicídio da filha
Mãe de Joana já cumpriu um quarto da pena pelo homicídio da filha FOTO: Nuno Jesus

Joana desapareceu de Figueira, em Portimão, a 12 de Setembro de 2004. Leonor já cumpriu um quarto da pena, requisito para solicitar a alteração do regime de pena. O seu advogado, Marcos Aragão Correia, enviou o requerimento no dia 16 de Abril e Leonor assinou-o no dia 20. O EP de Odemira irá juntar relatório técnico para enviar ao Tribunal de Execução de Penas (Évora). Leonor pode ser autorizada a saídas sem vigilância até sete dias, a cada quatro meses. Se correr bem, pode, depois, pedir regime aberto no exterior, a decidir pelo director--geral dos Serviços Prisionais.

Ver comentários