Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

"Ligas à polícia e eu mato-te"

Empresários tentaram levar à força 1800 polos.
Ana Isabel Fonseca 16 de Maio de 2015 às 09:09
Tribunal da Relação de Guimarães confirmou as penas a casal de empresários
Tribunal da Relação de Guimarães confirmou as penas a casal de empresários FOTO: Secundino Cunha
Deixaram 1800 polos para bordar numa fábrica, mas não os conseguiram recuperar, uma vez que tinham uma dívida para com os donos da empresa. Emílio e Libânia dirigiram-se no dia 11 de agosto de 2011 à fabrica, em Fafe, e tentaram levar o material à força. Ameaçaram duas funcionárias de morte e apontaram a uma delas um "objeto semelhante" a uma arma. Emílio foi condenado a quatro anos em pena suspensa e Libânia a três anos também suspensos.

As condenações – por crimes de coação agravada – foram recentemente confirmadas pelo Tribunal da Relação de Guimarães. "Vou-te matar, dou-te já um tiro minha p...", foi uma das frases que os dois empresários dirigiram às funcionárias da fábrica, enquanto tentavam recuperar os 1800 polos. O acórdão revela que os proprietários da empresa não se encontravam no local.

Emílio e Libânia entraram e tentaram levar todo o material que lá tinham deixado. Uma das funcionárias tentou chegar a um telefone para chamar a polícia. Nessa altura, Emílio apontou à vítima um objeto que, segundo a descrição desta, seria em tudo semelhante a uma arma de fogo. "Se ligas à polícia, morres", disse o arguido.


No caso terá estado envolvido um terceiro suspeito, que não chegou, no entanto, a ser identificado pelas autoridades.
Fafe fábrica ameaças Tribunal da Relação de Guimarães crime lei e justiça
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)