Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Linha da Trofa cria divisão

A calendarização da linha da Trofa e a definição de quem paga as obras de inserção urbanística são as questões que ainda impedem um acordo entre a Junta Metropolitana e o governo para a expansão do Metro do Porto.
28 de Abril de 2007 às 00:00
Não há acordo sobre o metro
Não há acordo sobre o metro FOTO: António Rilo
“Se eu estivesse do outro lado, não teria muitas dificuldades em aceitar o que a Junta está a pedir”, afirmou ontem Rui Rio, que preside à Junta Metropolitana do Porto (JMP), no final de uma reunião entre os autarcas dos 14 municípios que integram este organismo.
Nesta reunião, a JMP decidiu responder nos próximos dias ao pedido do Governo para que proceda a uma clarificação dos termos da última carta dirigida ao Ministério das Obras Públicas.
“No quadro da última proposta de acordo enviada pelo Governo (datada de 20 de Abril) vamos introduzir as clarificações que entendemos fundamentais para merecer um entendimento”, revelou o presidente da Câmara do Porto.
Rui Rio, que estava ladeado pelo socialista Guilherme Pinto (Matosinhos) e pelo social-democrata Castro Almeida (S. João da Madeira), vice-presidentes da JMP, especificou que está em causa “a definição da responsabilidade das autarquias nas obras de inserção urbana” e a “calendarização do início das obras na linha da Trofa.”
“O que se pretende é introduzir na última proposta do Governo o que é necessário para salvaguardar os objectivos da JMP”, salientou.
Relativamente à linha da Boavista, Rui Rio disse que “a última proposta do Governo satisfaz a Junta Metropolitana”, salientando que se trata agora apenas de “uma questão de português.”
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)