Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Lisboa na rota de uma vingança

Um empresário espanhol, com negócios em Portugal foi sequestrado sábado passado perto de Olivença por alegados romenos, drogado e levado para Lisboa onde, depois de pagar uma determinada quantidade de dinheiro que lhe foi exigida, foi libertado.
24 de Janeiro de 2007 às 00:00
As autoridades encontram alguns pontos pouco claros nesta história e admitem que se tenha tratado da cobrança de uma dívida.
Segundo a polícia espanhola, o empresário madrileno, J.R.P.M., tem relações comerciais em Olivença e Portugal e pernoitava no Monte do ‘Pozo del Caño’, a cerca de 2,5 quilómetros daquela cidade e onde tinha uma dependência alugada.
Ao que tudo indica, os ocupantes dos outros edifícios da herdade não deram por nada, nem nenhum ruído suspeito e o alarme só foi dado às primeiras horas da tarde de sábado, quando um filho do dono do local, ao olhar por uma janela, notou a desarrumação nos quartos e algumas manchas de sangue.
De acordo com as primeiras averiguações policiais, nas dependências alugadas ao empresário havia indícios de luta e de uma revista apressada à casa. Foi ainda notada a falta de um computador e de dois carros de grande cilindrada, propriedade do empresário.
Amigos do sequestrado e a polícia tentaram contactar o empresário por telemóvel, sem obter qualquer resposta, o que ainda fez temer a sua morte.
Pelas 20h00 desse dia, J.R.P.M. contactou um dos sócios da empresa que tem na zona, para contar que tinha sido sequestrado e levado para Lisboa.
No domingo, o empresário regressou a Olivença, onde prestou declarações à polícia, que levaram à conclusão que o sequestro foi realizado por encomenda.
Para a Guardia Civil, não são claras as relações comerciais que a vítima mantinha com os mandantes do sequestro, admitindo que o acto foi um ajuste de contas por dívidas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)