Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Luso-americano indemnizado pela American Airlines

John Cerqueira, um luso-americano expulso de um avião da American Airlines, por suspeita de ser um terrorista, vai receber uma indemnização de 400 mil dólares (mais de 300 mil euros) da companhia aérea, decidiu um Tribunal de Boston, nos EUA.
19 de Janeiro de 2007 às 09:47
O caso remonta a 28 de Dezembro de 2003, quando John, de 39 anos, estava sentado ao lado de dois cidadãos israelitas cujo comportamento levantou suspeitas entre os assistentes de bordo. A polícia forçou os três passageiros a abandonar o avião, que estava prestes a partir de Bóston, Massachussets, para Fort Lauderdale, na Florida, mas depois de os interrogar durante cerca de duas horas libertou-os.
No entanto, a American Airlines recusou-se a aceitar John Cerqueira novamente como passageiro, forçando-o a comprar um bilhete numa outra companhia, depois de lhe devolver o dinheiro que tinha pago pelo primeiro bilhete.
Cerqueira disse que os dois israelitas sentados ao seu lado falavam "alto" mas que não os conhecia, acusando a companhia de ter sido tratado "como um terrorista" numa situação em que não havia possibilidade de "poder provar que não tinha feito ou dito algo" de errado.
De acordo com o seu advogado, David Godkin, Cerqueira tinha sido expulso da aeronave apenas pela sua aparência física. "Seria normal que tivessem apresentado desculpas e que o tivessem colocado em primeira classe, garantindo que chegaria ao seu destino nesse mesmo dia, mas não o fizeram", acrescentou.
Desde os trágicos atentados de 11 de Setembro de 2001 contra o World Trade Center, em Nova Iorque, e o Pentágono, em Washington, que se têm registados inúmeros incidentes idênticos. O caso de Cerqueira foi, todavia, o primeiro a chegar a tribunal gerando controvérsia sobre a segurança e os direitos cívicos nos EUA.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)