Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Machado requer prisão domiciliária

Mário Machado, principal arguido do processo que senta 36 militantes de extrema-direita no banco dos réus do Tribunal de Monsanto, requereu ontem a alteração da medida de coacção imposta por a considerar "excessiva". O antigo líder daextinta Frente Nacional apelou ao juiz que transformasse a prisão preventiva em domiciliária por "já não poder perturbar o inquérito", nem haver "perigo de fuga".
16 de Abril de 2008 às 00:30
Líder extremista quer deixar calabouços da PJ
Líder extremista quer deixar calabouços da PJ FOTO: Tiago Vicente

De acordo com o advogado de Mário Machado, o requerimento deu entrada ontem à tarde. A decisão do juiz deverá ser conhecida hoje.

Também na sessão de ontem – reduzida porque Mário Machado chegou ao tribunal com uma hora e meia de atraso – o arguido Vasco Leitão, membro do Partido Nacional Renovador, defendeu que Machado nunca ameaçou o então assessor do Bloco de Esquerda Daniel Oliveira. Este apresentou queixa na PSP contra Mário Machado depois deste o ter abordado junto à Assembleia da República em Dezembro de 2006.

"Não houve ameaça nenhuma. O Mário apenas o questionou por causa de um artigo que havia publicado no ‘Expresso’", contou Vasco Leitão. "Se eu fosse o Marcolas partia-te já a cabeça", terá dito Mário Machado a Daniel Oliveira em resposta ao artigo. "Depois ele pediu que o acompanhássemos à esquadra para apresentar queixa por ameaça e nós fomos."

Daniel Oliveira está arrolado pela Acusação para testemunhar no dia 21.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)