Mãe acusa polícia de violar a filha

Um agente da PSP de Espinho é acusado pela mãe de uma rapariga de 15 anos de ter violado a menor. A denúncia já chegou à Polícia Judiciária do Porto, que está a avaliar a situação. A menor foi sujeita a exames médicos, mas o polícia ainda não foi formalmente interrogado. Deverá vir a sê-lo nos próximos dias, altura em que poderá vir a ser sujeito a medidas de coacção.
13.09.12
  • partilhe
  • 0
  • +
Mãe acusa polícia de violar a filha
O agente de 35 anos, que presta serviço na esquadra da PSP de Espinho, é conhecido dos pais da menor. Foi suspenso Foto Francisco Manuel

A denúncia por abuso sexual terá sido feita no final da semana passada. A menor tem 15 anos e é de Espinho. Os seus pais conhecem o polícia em causa e quem contou a violação foi a menor. A mãe apresentou logo queixa na PSP de Santa Maria da Feira.

Os contornos do crime ainda não são conhecidos. Sabe-se apenas que a menor garante que todos os contactos sexuais foram forçados.

O agente em causa tem 35 anos. Reside na zona Centro e é casado. Neste momento, na Polícia, já está suspenso preventivamente.

Segundo uma fonte contactada ontem pelo CM, o agente da PSP em causa é visto pelos colegas como uma pessoa de bem e de fácil relacionamento.

PROCESSO-CRIME E PROCEDIMENTO DISCIPLINAR

Rui Matos, relações-públicas da PSP de Aveiro, confirmou ao CM a denúncia, há cerca de uma semana. O oficial da PSP disse que o agente em causa foi de imediato suspenso e que a Judiciária e o Ministério Públicoforam informados. Além do processo-crime, o polícia ainda foi sujeito a um processo disciplinar, já aberto. A DirecçãoNacional da PSP também foiinformada de todo o teor dadenúncia. "Sobre a situação em concreto, a investigação não é da nossa responsabilidade", adiantou o comissário ao CM.

COLEGAS ESTRANHAM DENÚNCIA

Os colegas do agente da PSP de Espinho estranham a denúncia. Garantem que o polícia nunca mostrou qualquer comportamento suspeito, e nunca imaginaram contactos sexuais com menores. No entanto, o caso é agora comentado às claras na esquadra. Os polícias garantem que o agente poderá vir a meter baixa, após a suspensão terminar. Aquela não poderá arrastar-se indefinidamente, não sendo plausível que o processo-crime seja esclarecido durante o curto período da suspensão. O polícia poderá também vir a ser afastado do contacto com o público, passando a exercer funções burocráticas. Fontes contactadas pelo CM disseram ser este o cenário mais provável e também mais habitual nestas situações.

CONDENADO NO SEIXAL A SEIS ANOS DE PRISÃO

No Verão do ano passado, um agente da PSP foi condenado pelo Tribunal do Seixal a seis anos de prisão efectiva e ao pagamento de uma indemnização de 20 mil euros pelos crimes de abuso sexual de criança e peculato de uso. O homem, de 48 anos, que continuava nessa data a exercer funções na polícia, foi condenado por todos os crimes de que estava acusado – oito de abuso sexual de menor e um de peculato de uso – e ao pagamento de uma indemnização de 20 mil euros. A menor tinha sete anos quando foi abusada e era filha da mulher do agente.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
3 Comentários
  • De Carla 13.09.12
    Se os violadores tivessem cara disso, as pessoas fugiam deles. Essa de dizer que era boa pessoa. Hoje não se conhece ninguem, porque as pessoas sabem que impera a impunidade.
    Responder
     
     2
    !
  • De R.L13.09.12
    História muito mal contada... investiguem.
    Responder
     
     3
    !
  • De Carolina13.09.12
    Estranho................
    Responder
     
     2
    !