Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

“Mãe ficou de rastos”

A notícia da morte de Thomas Ribeiro Loureiro, que hoje faria 18 anos, foi recebida em casa da mãe, com quem vivia, na rua da Memória, em Odivelas, como uma bomba. Os dois agentes da PSP de Odivelas que foram transmitir a infeliz mensagem enviada pela polícia inglesa não revelaram directamente à mãe a morte do filho e esperaram pela chegada do marido, de quem está separada, para contar tudo. "Ela ficou de rastos depois de saber", conta quem viu e apoiou a mulher naquele momento de dor.
28 de Abril de 2010 às 00:30
Thomas foi socorrido na rua Hertford cerca da 01h20 pelos paramédicos
Thomas foi socorrido na rua Hertford cerca da 01h20 pelos paramédicos FOTO: Bigpictures/Atlanticopress

O CM falou com um dos amigos do jovem de 17 anos, que anteontem morreu numa famosa discoteca em Londres – onde Wayne Rooney, jogador do Manchester United, celebrava a conquista do prémio de Melhor Jogador do Ano – e que não escondeu a estupefacção perante a hipótese levantada pela polícia inglesa da causa da morte estar relacionada com uma overdose. "Apesar de já não o ver há algum tempo, nunca antes o vi a beber, quanto mais a fumar o quer que seja. Nem um charro". Mas a mesma pessoa desconhece também qualquer problema de saúde. "Aparentemente, ele era saudável. Sempre que esteve connosco, e crescemos juntos, nunca teve problema nenhum", garante.

Reservado mas afável, nos últimos anos, Thomas já não convivia muito com o grupo de amigos da rua da Memória, com quem cresceu e com quem partilhou brincadeiras. "Foi nos últimos sete ou oito anos que o deixei de ver com tanta frequência. Falávamos na rua, por breves momentos. Sei que ele passava largas temporadas em França e só às vezes vinha cá. Os pais estiveram lá emigrados, mas depois vieram para cá e separaram-se", conta o mesmo amigo.

O português partiu para Inglaterra no final da semana passada e foi para a discoteca Whisky Mist, em Londres, com um grupo de amigos para celebrar o 18º aniversário que, no entanto, só hoje completaria. Depois de se ter sentido mal, o jovem caiu inanimado no chão, cerca da 01h20 de anteontem. Uma equipa de emergência esteve no local a prestar os primeiros socorros e transportou o jovem para um hospital da capital, onde acabou por morrer pouco tempo depois.

Segundo informou ainda a polícia inglesa, no mesmo local e na mesma altura foi detido um homem de 37 anos suspeito de traficar cocaína no interior da discoteca. Foi levado para a esquadra, mas acabou por sair em liberdade depois de pagar uma fiança.

Enlutada, a família não quis prestar qualquer esclarecimento.

PORMENORES

MORTE LAMENTADA

Um porta-voz da discoteca Whisky Mist lamentou o sucedido. "Dirigimos as nossas condolências à família da vítima num momento tão difícil. Estamos a colaborar com a polícia para que se possa perceber o que aconteceu".

MENOR DENTRO DA ‘DISCO’

O acesso à discoteca só pode ser feito por maiores de 18 anos, pelo que, em condições normais, Thomas não poderia estar dentro daquele espaço. A polícia investiga.

ROONEY OUVIDO

O futebolista Wayne Rooney, do Manchester United, que estava na discoteca quando tudo aconteceu, foi ouvido pela polícia como testemunha.

RESULTADO DA AUTÓPSIA CONHECIDO HOJE

As causas da morte de Thomas Ribeiro Loureiro, de 17 anos, na discoteca londrina Whisky Mist, só hoje vão ser conhecidas depois de serem divulgados os resultados da autópsia, segundo informou ao CM fonte da Polícia Metropolitana de Londres. A polícia inglesa não descartou a hipótese de a morte do jovem português se dever a uma overdose. Na discoteca foi mesmo detido um homem de 37 anos suspeito de traficar cocaína no interior do espaço nocturno. Ainda assim, segundo a imprensa inglesa, fontes policiais contactadas também não descartam a possibilidade da morte se dever a causas naturais.

BEBIDAS A 800 € AO ALCANCE DE POUCOS

Entrar no Whisky Mist pode ser complicado. O nome tem de estar na lista de convidados e ainda há que pagar cerca de 25 euros para se ter acesso ao espaço, aberto há menos de dois anos. Quantia irrisória, isto tendo em conta que, lá dentro, se pode beber o cocktail ‘tree of life’ (à base de vodka, limão, pêssego e champanhe Krug), numa taça de prata da época vitoriana, a troco de 800 euros.

Mordomias, exclusividade e luxo, ingredientes que fazem daquele espaço localizado no Hotel Hilton, paredes-meias com o Palácio de Buckingham e com o Hyde Park, em Londres, um ponto de encontro de celebridades.

O príncipe Harry é um cliente habitual, bem como futebolistas, actores, entre muitos outros. Aliás, na festa de aniversário de Kalou, do Chelsea, os colegas de equipa terão gasto, numa só noite, cerca de 130 mil euros.

No entanto, para as figuras públicas, a discoteca tem um espaço bastante restrito, reservado aos VIP. Foi nesse espaço que o príncipe Harry, por exemplo, falou de forma cúmplice com Christina Aguilera e foi seduzido numa outra noite por Paris Hilton.

O Whisky Mist tem 240 lugares sentados e, de dia, serve como espaço lounge de apoio ao Hotel Hilton, enquanto à noite se transforma numa discoteca com alguns dos melhores DJ de Inglaterra.

ENTRE HYDE PARK E BUCKINGHAM

O Whisky Mist abriu as suas portas a 10 de Junho de 2008, pelas mãos de dois empresários conhecidos do mundo nocturno. Estes optaram por criar este espaço com um look da década de 70 e com traços escoceses numa das zonas mais caras de Londres, em Mayfair, deixando o Whisky Mist a poucos metros de Hyde Park, bem como do Palácio de Buckingham. A entrada na discoteca requer uma indumentária mais cuidada por parte do cliente e o nome na exclusiva lista de convidados. Depois, pode optar por dois bares e uma pista de dança. A zona VIP não é para todos.

DISCURSO DIRECTO

"A TENDÊNCIA É MISTURAR DROGA E ÁLCOOL"

Correio da Manhã – Qual o efeito do consumo de cocaína com álcool?

João Goulão – No caso da cocaína, que é uma droga que provoca a aceleração do ritmo cardíaco, o seu consumo misturado com álcool pode provocar arritmias ou taquicardias e levar à paragem cardíaca. Mas a tendência actual é a utilização em simultâneo, principalmente em discotecas, de várias drogas com álcool.

– Fala em tendência para o policonsumo. Está a aumentar?

– Sim. É aliás uma preocupação a nível europeu. Na reunião em que estou a participar, em Madrid, essa e o consumo excessivo de álcool são as preocupações mais nomeadas.

– E que efeitos pode ter uma droga em estado puro?

– O produto comercializado costuma ser cortado, ou seja, a droga surge com um grau de pureza menor. Mas se esta for pura os efeitos são potenciados e pode provocar a morte.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)