Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Magistrados fazem seguro de saúde

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público vai fazer um seguro de saúde para beneficiar os sócios que tenham as quotas em dia. Foi esta a forma que o sindicato dirigido por António Cluny encontrou para reagir às alterações introduzidas nos Serviços Sociais do Ministério da Justiça.
13 de Janeiro de 2006 às 00:00
O sindicato de António Cluny vai contratualizar um seguro
O sindicato de António Cluny vai contratualizar um seguro FOTO: Marta Vitorino
O novo regime jurídico do subsistema de saúde entrou em vigor no mês de Dezembro, reduzindo substancialmente o número de beneficiários. Uma das classes que perdeu direitos foi a Magistratura.
Numa nota enviada aos seus associados, o sindicato frisa que esta iniciativa “não impedirá que se continue a estudar medidas judiciais” para “impedir o desmantelamento injusto e politicamente injustificado dos serviços públicos de saúde”. O sindicato diz até que “existem dúvidas” sobre “a política, os privilégios e condições de financiamento de caixas privadas de Segurança Social por parte dos fundos e meios financeiros do Ministério da Justiça”.
Numa segunda nota dirigida aos sócios, o sindicato deixa indicações sobre o novo regime das férias judiciais, lembrando que os magistrados têm direito a gozar 22 dias úteis de férias ininterruptamente.
A marcação das férias judiciais foi discutida numa reunião do Conselho Superior do Ministério Público na primeira semana do mês. Nesse encontro ficou consagrado, por proposta do procurador-geral da República, a possibilidade de os magistrados poderem vir a gozar parte das férias em períodos temporais quenão coincidam com as férias judiciais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)