Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

MAIS POLÍCIA RECLAMADA NA PRAIA

A crescente insegurança na praia de Carcavelos, Cascais, cujo caso mais grave foi o esfaqueamento de um jovem, terça-feira passada, preocupa banhistas, concessionários e nadadores-salvadores.
25 de Agosto de 2003 às 00:00
Jovens violentos estão a deixar os utilizadores apavorados
Jovens violentos estão a deixar os utilizadores apavorados FOTO: José Barradas
A presença de grupos de delinquentes, vindos de vários pontos da zona de Lisboa, tem levantado, segundo vários testemunhos ouvidos pelo CM, a necessidade da presença de agentes da PSP no areal.
"Desde o Verão do ano passado que a situação tem piorado. Durante a noite, somos alvo de roubos, e depois ninguém tem a culpa." Sob o abrigo do anonimato, "com receio de retaliações", o funcionário de um dos concessionários de restauração da praia garantiu ao nosso jornal que, apesar de esporádica, a actividade delituosa dos grupos de jovens causa prejuízos nos comércios locais.
"Ainda na semana passada entraram, durante a noite, no restaurante, através da lona, e roubaram muitas garrafas de uísque e pacotes de batatas fritas. É mesmo coisa de miúdos", referiu.
Opinião semelhante têm alguns nadadores-salvadores ouvidos pelo nosso jornal. Apesar de não reconhecerem a existência de um grande número de furtos no areal da praia, os banheiros de Carcavelos garantem que a presença "mais visível e frequente de agentes da PSP ou da Polícia Marítima serviria para dissuadir comportamentos criminosos". "Queremos mais polícias em todo o areal e que fiquem durante todo o Verão", afirmaram.
AUTORIDADES 'NÃO CHOCAM'
Fonte da PSP ouvida pelo CM preferiu não traçar um "cenário de excepção" em termos de patrulhamento policial para a praia de Carcavelos. "A situação de pequenos furtos existente naquele local está perfeitamente monitorizada tanto pela Esquadra de Carcavelos como pela Divisão de Cascais", referiu o informador. "E a presença de patrulhas de bicicleta junto ao paredão da praia, não sendo suficiente, tem conseguido evitar que o crime suba a níveis preocupantes", assegurou.
O problema do conflito de competências, tanto no areal, como na área circundante à praia, entre a PSP e a Polícia Marítima, foi igualmente abordada pelo responsável policial. Rejeitando qualquer colisão entre os agentes de ambas as polícias, o informador salientou que, "em caso de crime, qualquer autoridade policial pode intervir". "As polícias não chocam em nada", acrescentou. No entanto, em paralelo à acção policial, também compete às pessoas ter certos cuidados quando estão na praia: "Quem melhor do que nós para cuidar dos nossos pertences?".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)