Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

MAIS VALE POBRE QUE MAL ACASALADO

Para a maior parte das pessoas, uma vida sexual activa e preenchida é razão para se sentir feliz. O mesmo é válido para o dinheiro – um bom ordenado, que permita uma vida desafogada, pode também proporcionar felicidade. Agora os cientistas chegaram a uma conclusão no mínimo discutível para alguns: no que toca a fazer uma pessoa feliz, o sexo é mais eficaz do que o dinheiro.
18 de Julho de 2004 às 00:00
“Encontrámos provas de que o dinheiro é capaz de gerar um grau de felicidade, mas não tão elevado como os economistas certamente pensavam”, diz David Blachflower, investigador do Dartmouth College, de Hanover (EUA). “Tivemos de procurar psicólogos para chegar à conclusão de que outras coisas podem ser verdadeiramente importantes”, acrescenta o economista.
O estudo realizado por Blachflower, em conjunto com Andrew Oswald, da Universidade de Warwick (Inglaterra), consistiu na análise de dados sobre os níveis de actividade sexual e felicidade revelados por 16 mil pessoas.
De acordo com o relatório da investigação, o sexo “entra de forma tão forte e positiva nas equações da felicidade” que, na opinião de muitos, suplanta tudo o que o dinheiro possa comprar.
Para se ter uma ideia, indivíduos que pratiquem relações sexuais uma vez por mês e que registem uma melhoria para uma relação por semana, podem atingir níveis de felicidade equivalentes aos gerados pelo aumento salarial de 50 mil dólares (40 mil euros) por ano, num cálculo feito a pensar no americano médio.
Os cientistas também concluíram que as pessoas mais felizes são as que praticam sexo mais vezes, ou seja, as pessoas casadas, que registam uma actividade sexual 30 por cento superior à dos solteiros. Só falta descobrir se é o sexo que traz felicidade, ou se simplesmente as pessoas felizes é que estão mais dispostas a entregarem-se aos prazeres da cama.
Sejam quais forem os resultados dessa matéria ainda em discussão, certo é que o sexo e a felicidade estão intimamente ligados.
RICOS NÃO SÃO MAIS ACTIVOS
O relatório “Dinheiro, Sexo e Felicidade: Um Estudo Empírico” também conclui que não é por ter mais dinheiro que uma pessoa encontra maior facilidade na sua realização sexual. Apesar do que pensa a maioria das pessoas, o estudo revela que não há qualquer relação entre a frequência com que se pratica sexo e o nível salarial.
Os cientistas acabaram por concluir ainda que não é por ser pobre mas sexualmente activa que uma pessoa atinge mais facilmente a felicidade. A forma como o sexo contribui para a felicidade é, ainda assim, diferente para pessoas de estratos sociais distintos.
Os investigadores descobriram que o sexo tem maiores efeitos nos níveis de felicidade das pessoas com educação mais elevada – e consequentemente mais ricas – do que nas que desistiram da escola mais cedo.
"SEXO AJUDA À REALIZAÇÃO" (Nuno Nodin, especialista em Sexologia)
Correio da Manhã – Em que medida é que uma vida sexualmente activa contribui para a felicidade?
Nuno Nodin – Hoje em dia, a sexualidade faz parte da felicidade, uma vez que contribui para a realização pessoal de cada um. O sexo é importante mas não é a única coisa relevante.
É possível ser-se feliz sem sexo?
– Certamente. Veja o caso do celibato. As pessoas não morrem se não tiverem sexo. Tudo depende da valorização que cada um dá. O dinheiro pode ser mais relevante para alguns. É uma coisa pessoal.
É verdade que o sexo é menos importante à medida que se fica mais velho?
– Não vejo porquê. Isso é uma ideia feita que não corresponde à realidade. Se a pessoa dá importância ao sexo em nova, não é por envelhecer que passa a dar menos relevância. A felicidade é uma coisa muito relativa.
CONCORDA COM A TESE DE QUE O SEXO TRAZ MAIS FELICIDADE DO QUE O DINHEIRO?
"DINHEIRO TRAZ SEXO"
“Fico perplexa com esse estudo, uma vez que o dinheiro pode trazer sexo. Se bem que, no acto sexual em si, se estiver a ser bom, as pessoas podem estar mais felizes do que tendo dinheiro no bolso.” Wanda Stuart (Cantora)
VENHAM MAIS POSIÇÕES
“Prefiro o sexo, sem qualquer dúvida. Dinheiro ganho todos os meses, mas o sexo tem de ser feito todos os dias. Só espero que saia um livro com as posições do Kama Sutra que falta conhecer.” Mário Taborda (Func. público)
CONFLITO GERACIONAL
“Tentem vender essa tese a uma pessoa de 70 anos e ela manda-vos imediatamente à merda. Isso é assim para uma pessoa de 20 ou 30 anos, mas para uma pessoa mais velha deixa de fazer sentido.” Herman José (Humorista)
MELHOR BOM QUE MUITO
“Há várias coisas que dão mais felicidade do que o dinheiro. Há bom sexo e mau sexo, mas não há mau dinheiro e bom dinheiro. É preferível uma vida com pouco dinheiro e bom sexo.” Andreia Maciel (Jornalista)
DINHEIRO VALE MAIS
“O mais importante é o dinheiro, pois traz mais felicidade. Com o dinheiro podemos fazer tudo. Aliás, o dinheiro pode comprar tudo – às vezes até pode comprar uma relação sexual.” Soledade Silva (Emp. balcão)
Ver comentários