Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Maëlys tinha maxilar partido em dois

Perícias terminaram e o corpo será entregue à família.
Magali Pinto 22 de Maio de 2018 às 01:30
Maëlys Araújo
Maëlys de Araujo
Nordahl Lelandais
Buscas por Maëlys de Araújo
Maëlys Araújo
Maëlys de Araujo
Nordahl Lelandais
Buscas por Maëlys de Araújo
Maëlys Araújo
Maëlys de Araujo
Nordahl Lelandais
Buscas por Maëlys de Araújo
Três meses depois de os restos mortais de Maëlys de Araújo terem sido encontrados pelas autoridades francesas, o corpo vai ser finalmente entregue à família - a criança lusodescendente tinha nove anos. Desapareceu no final do mês de agosto durante uma festa de casamento em Pont de Beauvoisin, França. Os pais estão a preparar o funeral.

O homicida da menina, Nordahl Lelandais, ex-militar, admitiu ter assassinado a criança, mas disse ter sido um ato involuntário, isto é, assumiu apenas ter dado uma bofetada a Maëlys. Vai ter de explicar agora ao juiz os motivos pelos quais a menina tem o maxilar superior partido em dois pedaços.

Lelandais está internado na ala de Psiquiatria do Hospital de Lyon e vai ser chamado de novo a tribunal para ser confrontado com os resultados da autópsia.

O ADN da menina foi detetado na bagageira do seu carro e depois no sofá da casa dos pais do homicida. Lelandais explicou que não tinha intenção de matar a criança e que entrou em pânico quando se apercebeu que Maëlys não respirava a seguir a ter-lhe dado a bofetada.

Foi então que decidiu enterrar o corpo da criança.

PORMENORES 
Internado após confessar
Dois dias após assumir a morte da menor, em fevereiro, o homicida foi internado num hospital psiquiátrico, onde é monitorizado para evitar o suicídio.

Assume outra morte
Em março, o homicida confessou a morte de um soldado que tinha sido dado como desaparecido em abril de 2017.

Advogada fala da dor
"Saber as causas concretas da sua morte irá permitir à família ultrapassar [a dor]", afirmou ontem a advogada dos pai, após ser concluída a autópsia.
Ver comentários