Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Mar rompe dunas

O mar rompeu o cordão dunar na ilha da Fuseta ontem à tarde, cerca das 15h00, no pico da maré cheia. A água salgada passou por cima da ilha, para a margem do lado da Ria , numa frente com cerca de 80 metros de largura, e destruiu mais residências de férias, vazias e já marcadas para demolição ao abrigo do Polis Ria Formosa.
16 de Fevereiro de 2010 às 00:30
Mar passou sobre a ilha, para o lado da Ria, numa frente de 80 metros
Mar passou sobre a ilha, para o lado da Ria, numa frente de 80 metros FOTO: Imagens SIC

A chamada frente de galgamento abriu-se a 300 metros para Leste do cais comercial daquela ilha-barreira do concelho de Olhão. Foi resultado da conjugação de marés vivas com mar de sul fortemente puxado a vento. "É similar a uma ocorrência no início do ano", referiu o comandante Sameiro Matias, a exercer interinamente o comando da Capitania de Olhão. Desde o final do ano passado foram destruídas 18 casas pelo mar na ilha da Fuseta, todas elas casas de férias já marcadas para demolição.

O director do Departamento de Litoral da Administração da Região Hidrográfica do Algarve (ARH-A) confirma o número. Segundo informações que lhe foram transmitidas, Sebastião Teixeira adianta que mais cinco casas terão sido destruídas pelo mar, ontem à tarde, na ilha.

Junto à frente de galgamento que ontem abriu estavam diagnosticados dois pequenos rompimentos. "Cada vez que houver tempestades vai acontecer outra vez", prevê Sebastião Teixeira.

O técnico adiantou, ao final do dia de ontem, que eram esperados mais dois picos de maré alta, com possíveis efeitos semelhantes. Um estava previsto às três da manhã de hoje e o último prevê-se para a madrugada de amanhã. Só no final do episódio completo, a ARH-A procederá a uma avaliação da situação.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)