Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

MARINHA À ESPERA DOS NAVIOS-PATRULHA

A Marinha de Guerra espera que no próximo ano seja assinado o contrato-programa para a construção de “mais seis patrulhas oceânicos e cinco lanchas de fiscalização costeira”, segundo declarações do chefe de Estado-Maior da Armada, almirante Vidal de Abreu.
23 de Outubro de 2004 às 00:00
O chefe máximo da Marinha prestou estas declarações durante a cerimónia de abertura do ano operacional, que decorreu no Alfeite, e que permitiu divulgar publicamente as expectativas da Armada.
Vidal de Abreu considerou essencial o prosseguimento do programa de reequipamento naval, não esquecendo as duas fragatas em segunda mão a fornecer pelos norte-americanos, que o chefe de Estado-Maior explicou irem colmatar a lacuna no campo da defesa aérea de área.
Com efeito, esta é das lacunas mais graves da Marinha, uma vez que os meios existentes, as fragatas da classe Vasco da Gama, permitem a defesa própria do navio, mas já têm pouca capacidade para assegurar a defesa antiaérea de uma força naval.
Adquirir esta capacidade revela-se estratégico para a Marinha, até pela aquisição do navio polivalente logístico, importante pela valência de transporte estratégico, mas de frágil defesa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)