Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Mata a tiro após jogo

Se alguém me toca, cai também. Ao ‘Barracas’ ninguém vira as costas". As palavras são de António ‘Barracas’, depois de ter assassinado Vítor Lapa com quatro tiros, anteontem à noite, em Vila Marim, Mesão Frio, no final do jogo Sporting-Porto (3-0). Vítor, de 45 anos, morreu a caminho do hospital. O homicida foi detido pela GNR no local e está em prisão preventiva.
2 de Março de 2010 às 00:30
Familiares da vítima tentaram agredir homicida, António ‘Barracas’, no Tribunal de Mesão Frio
Familiares da vítima tentaram agredir homicida, António ‘Barracas’, no Tribunal de Mesão Frio FOTO: Joana Neves Correia

"O homem é portista doente mas estava era bêbedo, porque até batia palmas aos golos do Sporting", contou ao CM uma testemunha do tiroteio, que ocorreu à porta do Café Central. Segundo os clientes, o futebol não terá sido o motivo. Contam que António ‘Barracas’ estava a provocar várias pessoas e fez o mesmo com Vítor Lapa, quando este entrou para tomar café. "Ele não respondeu, mas o ‘Barracas’ estava sempre a entrar e a sair do café e deve ter ido à carrinha buscar a pistola", relata ao CM Margarida, cliente do estabelecimento

Quando Vítor saiu do café, o homicida foi atrás dele de arma em punho. "Fui à janela e vi-o com a pistola já apontada ao outro, que estava dentro do carro para ir embora", conta. Depois gerou--se a confusão. ‘Barracas’ entrou no café e ameaçou todos com a arma em punho. "A GNR disse-me que, depois dos tiros, a arma encravou. Podia ter me matado", descreve Margarida.

A GNR de Mesão Frio deteve o homem, que ficou no local a discutir, já que o carro da vítima descaiu e bateu na traseira da sua carrinha.

FAMILIARES TENTARAM VINGANÇA

Vítor Lapa era camionista mas estava sem trabalho. Divorciado, vivia com a mãe em Vila Marim e deixa dois filhos menores. A restante família reside no Porto. Ontem os familiares estavam revoltados, à porta do Tribunal de Mesão Frio, e conseguiram entrar quando o homicida se preparava para sair na carrinha celular. Os sobrinhos da vítima tentaram mesmo agredir ‘Barracas’, ainda dentro das instalações judiciais. A GNR teve de intervir para acalmar a família da vítima e afastar as dezenas de populares que mostravam a sua revolta à porta do tribunal. "Assassino", gritava--se. António "Barracas", reformado, é conhecido em Vila Marim por abusar no consumo de álcool.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)