Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

André matou ex-namorado por ciúmes em noite de droga e álcool

Miguel Ribeiro, de 20 anos, foi esfaqueado em plena Baixa do Porto.
Tânia Laranjo 20 de Julho de 2018 às 01:30
PJ recolhe indícios da morte de Miguel Ribeiro
Miguel Ribeiro foi morto pelo ex-namorado
André Vieira é suspeito de matar o ex-namorado, Miguel Ribeiro
Miguel Ribeiro
familia de miguel ribeiro
PJ recolhe indícios da morte de Miguel Ribeiro
Miguel Ribeiro foi morto pelo ex-namorado
André Vieira é suspeito de matar o ex-namorado, Miguel Ribeiro
Miguel Ribeiro
familia de miguel ribeiro
PJ recolhe indícios da morte de Miguel Ribeiro
Miguel Ribeiro foi morto pelo ex-namorado
André Vieira é suspeito de matar o ex-namorado, Miguel Ribeiro
Miguel Ribeiro
familia de miguel ribeiro
Um crime violento, motivado por ciúmes. Esta é a convicção da Polícia Judiciária do Porto, validada pela juíza de instrução. Qualificaram o homicídio ocorrido na madrugada de anteontem, em plena baixa da cidade, como motivado por razão fútil.

Foram os ciúmes que levaram André Vieira, de 29 anos, a matar Miguel Ribeiro, de 20. Tinham já mantido uma relação amorosa e na madrugada de quarta-feira desentenderam-se. Miguel expulsou André da sua casa e depois de o agredir foi esfaqueado.

O jovem agressor ainda mostrou arrependimento e garantiu que agiu em legítima defesa. Mas não explicou porque não saiu quando o dono da casa o ordenou. Garantiu depois que estava à espera de uma amiga, para o acompanhar.

O que aconteceu exatamente naquela madrugada, ninguém consegue explicar. André não se recorda das várias facadas e explicou que tinha consumido drogas e álcool. Estava descontrolado e Miguel Ribeiro agrediu-o violentamente - agressões aliás visíveis na zona da cara. O jovem, que estava a comer uma peça de fruta e por isso tinha uma faca na mão, reagiu. Desferiu cinco facadas na vítima, até caírem ambos pelas escadas do prédio.

Já no caminho, enquanto deambulava. André encontrou a jovem por quem esperava. Disse-lhe que o ex-companheiro estava ferido e pediu ajuda. Mas foi para casa de um outro amigo, onde acabou por ser preso horas depois.

Levado para a Judiciária, o rapaz, estudante de mestrado, confessou o crime e mostrou arrependimento. A defesa ainda tentou a tese de legítima defesa, mas sem êxito. A juíza disse tratar-se de um crime qualificado, agravado pela relação de casal que vítima e agressor mantiveram.

PORMENORES
Funeral hoje
O funeral de Miguel Ribeiro será hoje, às 18h00, na Casa Mortuária de Treixedo. Haverá missa de corpo presente.

Sem cadastro
André Vieira não tem cadastro e não havia qualquer registo de violência. O rapaz não consegue explicar ato.

Desentendimento em bar
Terá havido um primeiro desentendimento num bar das Galerias Paris, horas antes, entre agressor e vítima.

Rasto de sangue mostra grande violência
O rasto de sangue encontrado na casa de Miguel Ribeiro, na rua de Fernandes Tomás, mostra a violência extrema.  Havia sangue nas paredes do andar, já que vítima e agressor terão caído das escadas após o ataque. A PJ esteve no local a recolher vestígios.

Fica em preventiva na cadeia da Judiciária
André Vieira ficou em prisão preventiva e para já vai para a cadeia anexa à Polícia Judiciária do Porto. É aí que deverá manter-se até ao julgamento, o que só deverá decorrer daqui a alguns meses. O jovem arrisca uma elevada pena de cadeia.






Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)