Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Mata o tio a tiro por dívida de obra

Vítima de 80 anos recusou pagar 10 mil € e foi baleada num olival.
Ana Borges Pinto 28 de Abril de 2017 às 08:29
Francisco Barros foi presente ontem a tribunal para primeiro ser ouvido em interrogatório e ficou em prisão preventiva
Francisco Barros foi presente ontem a tribunal para primeiro ser ouvido em interrogatório e ficou em prisão preventiva FOTO: Direitos Reservados
Francisco Barros, agricultor de 62 anos, matou o tio com um tiro nas costas, a 18 de dezembro do ano passado, em Meirinhos, Mogadouro, e fugiu. Na altura, a PJ admitia que se poderia tratar de um crime, mas não descartou a hipótese de se tratar de um acidente de caça, já que tudo aconteceu numa zona onde é habitual essa prática. Mais de quatro meses depois, as investigações da Polícia Judiciária de Vila Real reuniram provas que indicavam o sobrinho da vítima como o autor do disparo fatal. Foi detido na quarta-feira à noite.

O crime aconteceu pelas 11h40 de dia 18 de dezembro. Na origem terá estado uma dívida de 10 mil euros, que a vítima se recusava a pagar a Francisco Barros. Na altura, José Caetano, de 80 anos, encontrava-se num olival a limpar oliveiras e foi atingido com um tiro nas costas - que terá sido disparado pelo suspeito a partir de uma estrada próxima, fugindo depois pelo IC5, e só à tarde regressou a casa.

Já no dia anterior, vítima e agressor tinham tido uma discussão devido à falta de pagamento das obras que Francisco tinha feito para o tio - que se recusava a pagar por considerar que estavam mal feitas.

Após uma breve troca de palavras, a vítima fechou-lhe a porta de casa de forma brusca. No dia seguinte, por vingança, Francisco disparou e matou o tio, que foi encontrado por caçadores que ali passavam.

Ontem, perante o juiz que o interrogou, optou pelo silêncio. Vai aguardar julgamento na cadeia de Bragança.
morte homicídio crime tio obra olival Francisco Barros
Ver comentários