Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

“Mata-os aos dois e atira depressa”

Casal de ourives e filho foram roubados e espancados a caminho da feira.
4 de Maio de 2010 às 00:30
Após ter recebido tratamento no Hospital de Gaia o ourives (de camisa vermelha) saiu com um familiar. No local da emboscada os populares (em cima) contaram ao ‘CM’ terem ouvido apenas o barulho de um disparo
Após ter recebido tratamento no Hospital de Gaia o ourives (de camisa vermelha) saiu com um familiar. No local da emboscada os populares (em cima) contaram ao ‘CM’ terem ouvido apenas o barulho de um disparo FOTO: Joana Neves Correia

O plano foi executado ao pormenor e com o objectivo de atacar um ourives de 73 anos que se deslocava com a mulher desde os Carvalhos, em Gaia, para a feira semanal de Espinho. Mas a presença inesperada do filho do casal, de 30 anos, que seguia num outro carro atrás dos pais, alterou o rumo dos acontecimentos e pode ter salvo a vida aos septuagenários, apanhados numa emboscada às 08h30, em Grijó, Gaia. O grupo roubou o carro ao ourives, cheio de ouro, após ter agredido pai e filho à coronhada.

'Mata-os já e atira depressa', ordenou um dos pelo menos seis assaltantes – distribuídos por três veículos e alguns dos quais de cara destapada – mal saiu do Honda Civic que abalroou de frente o Peugeot do casal, atirando-o contra um murro. Amedrontados, os ourives ficaram à mercê do revólver e de 'pequenas metralhadoras' que o gang empunhava, segundo contaram às autoridades. De uma carrinha branca que o casal garante já ali estaria estacionada saíram outros assaltantes que, surpreendidos pela chegada do filho dos ourives, num Volkswagen Passat azul, disparou um tiro para a roda do veículo quando o jovem ourives atropelou um dos assaltantes. Entretanto chegou outro veículo que não conseguiram identificar.

Em segundos, agrediram pai e filho à coronhada. Três assaltantes entraram no Passat e espancaram o ourives de 30 anos, enquanto o septuagenário também foi brutalmente agredido. A mulher foi poupada. Ambos receberam tratamento no Hospital Santo Silva, em Vila Nova de Gaia. Ao início da tarde de ontem, quando saíam das urgências, estavam visivelmente abalados. O filho apenas disse ao CM 'está tudo bem'.

Os ladrões fugiram com a carrinha Peugeot do septuagenário, carregada de ouro, mas deixaram na rua dos Combatentes, onde fizeram a emboscada, um dos três veículo que usaram e o carro do filho do casal, também com centenas de peças de ouro na mala. A Peugeot foi encontrada vazia pela GNR num pinhal, a dois quilómetros do local. A PJ investiga.

BURACO NA PAREDE LIMPA OURIVESARIA

'Levaram tudo!' Visivelmente consternado, o dono da ourivesaria Diamante, situada na rua 19, em Espinho, ainda não estava refeito do choque de ter encontrado, ontem de manhã, a sua loja depois de um assalto. Os ladrões, que se suspeita serem no mínimo dois, abriram de madrugada um buraco na parede do estabelecimento para poder entrar e fugiram com 500 mil euros em ouro, prata e peças com diamantes. Apesar de ficar no centro da cidade, ninguém se apercebeu do roubo.

Tudo pareceu estar planeado ao pormenor. A entrada foi feita pelo prédio vizinho, que já tinha a porta destrancada. 'Foi estroncada há dois dias', disse a moradora Beatriz Fernanda. Uma vez no edifício, foram directos ao fundo do corredor para aceder a uma passagem, tapada com grades e onde existia uma barbearia. Depois daquela passagem existe uma porta de acesso às traseiras da ourivesaria. Os vizinhos garantem que são poucos os que conhecem aquele pormenor.

Após chegar ao compartimento escondido, os ladrões fizeram um buraco na parede de tijolo, mas não conseguiram entrar por causa de um móvel em metal. Fizeram novo buraco na parede, entraram e arrancaram o alarme antes que fosse accionado. As peças em ouro, prata e com diamantes incrustados, das quais o dono não tinha seguro, foram as escolhidas. Acabaram por fugir sem que ninguém os visse, sendo que a loja não tem sistema de videovigilância. A esquadra de investigação criminal da PSP de Espinho investiga.

'A SOLUÇÃO NÃO SE AVIZINHA FÁCIL'

O alerta é dado pela Associação dos Industriais de Ourivesaria e Relojoaria do Norte e refere-se aos assaltos de que os ourives são alvo. 'O problema continua e a solução não se avizinha fácil', disse ao CM a secretária geral daquela associação, Fátima Santos. Os comerciantes, continua a responsável, têm várias acções de formação para os sensibilizar a alterarem os hábitos e a aposta na segurança. Mas as medidas não são suficientes. 'Em crise económica a criminalidade aumenta e o nosso sector não escapa', concluiu.

NÚMEROS

93

roubos a ourivesarias em 2009. A maioria ocorreu em Lisboa e no Porto.

3

ou mais indivíduos é a média do número de assaltantes que atacam as lojas de ouro.

12

casos de roubos a ourives é a diferença do decréscimo entre 2009 e 2008.

72%

dos ilícitos que houve no ano passado ocorreram em Lisboa, Porto, Setúbal e Braga.

78,5%

das vezes em assaltaram ourivesarias os ladrões usaram armas de fogo.

NOTAS

BRAGA: DEFENDE LOJA A TIRO

O filho do dono da Elisa Jóias, em Braga, resistiu aos assaltantes e acabou ferido com um tiro na perna e uma coronhada na cabeça, numa tentativa de assalto violenta, no último mês

LISBOA: SEQUESTRADOS

Dois funcionários ficaram fechados numa sala de uma ourivesaria, em Alvalade, a 24 de Março, durante um assalto feito por três ladrões armados que roubaram todo o ouro e relógios

PSP: SETE DETIDOS POR FURTOS

A PSP deteve há um mês sete pessoas por furtos a ourivesarias e outros estabelecimentos nos distritos de Faro, Portalegre, Castelo Branco, Viseu, Aveiro, Leiria, Lisboa e Setúbal

 

Ver comentários