Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Matou a mulher para tirar feitiço

Após o crime disse-me que matou a mulher porque ela lhe lançou um feitiço e só assim se conseguia livrar do mal que tinha dentro dele".
30 de Abril de 2010 às 00:30
Manuel Fernandes está acusado de assassinar a mulher Liliana à coronhada em Julho do ano passado
Manuel Fernandes está acusado de assassinar a mulher Liliana à coronhada em Julho do ano passado FOTO: Diogo Pinto

A afirmação pertence a Paulo Carvalho, inspector da Polícia Judiciária, que ontem recordou no Tribunal de Sabrosa o momento em que Manuel Fernandes lhe confessou ter espancado até à morte e com várias coronhadas na cabeça a esposa Liliana Graça, de 26 anos. O madeireiro, de 37 anos, que cometeu o crime a 19 de Julho do ano passado, já começou a ser julgado por homicídio qualificado, crime para o qual ontem o procurador do Ministério Público pediu 25 anos de prisão.

'Estávamos a sair do carro e ele começou a atirar contra nós. Atingiu a minha irmã e a filha de oito meses. Depois atirou a Liliana ao chão e deu-lhe pancadas com a coronha da arma até ela morrer', contou Raquel, irmã da vítima.

Semanas antes do crime, Manuel estava a viver no Brasil com Liliana, mas após anos de maus tratos a mulher fugiu para Sabrosa. O madeireiro regressou para a matar pois segundo aquele afirmou em tribunal a esposa colocou-lhe veneno no arroz de marisco para o enfeitiçar e precisava livrar-se da maldição. 'Só me lembro de ver a Liliana a correr cheia de sangue com a menina nos braços e a pedir--me que salvasse a filha', recordou emocionada Raquel.

Na sessão de ontem foi ainda ouvido António, avô da vítima. 'Quando a vi não a reconheci. A cara estava toda desfeita', contou.

A leitura do acórdão está marcada para dia 27 de Maio.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)