Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Medicamento gratuito para artrite

Os doentes que sofrem de artrite reumatóide, uma doença reumática altamente incapacitante, vão deixar de pagar os medicamentos necessários aos tratamentos. O Ministério da Saúde vai comparticipar a cem por cento o ‘Enbrel’, remédio que trata cinco doenças crónicas, cuja embalagem custa 695 euros, mas que até hoje não tinha qualquer apoio do Estado, avançou ontem o ‘Diário de Notícias’.
21 de Outubro de 2007 às 00:00
A artrite reumatóide afecta 40 mil portugueses. Cada caixa de Enbrel custa 695 euros
A artrite reumatóide afecta 40 mil portugueses. Cada caixa de Enbrel custa 695 euros FOTO: d.r.
Além da artrite reumatóide, o fármaco é usado por doentes que sofrem de espondilite aquilosante, artrite psoriática, artrite idiopática juvenil poliarticular e psoríase em placas. Depois do ‘Enbrel’, o Infarmed está a avaliar a extensão do apoio a outros medicamentos similares, já no mercado.
António Nabiça é um dos muitos milhares de doentes com artrite reumatóide. A doença foi-lhe diagnosticada “há mais de 20 anos”. Hoje, aos 46, não passa sem a medicação diária. Reticente em relação à comparticipação total deste medicamento, confessa que o que gasta “todos os meses na farmácia, com grande dificuldade, se fosse comparticipado era uma grande ajuda”. E, como “o que é dito nem sempre é bem assim”, António espera que a boa vontade do Governo se estenda também aos restantes remédios.
O despacho do Ministério da Saúde, que está pronto para publicação, prevê também a dispensa gratuita das vacinas pré-carregadas com ‘Enbrel’, que custam 721 euros. Os doentes só poderão levantar os remédios no hospital da área de residência, quando forem prescritos pelos médicos da especialidade. Diz o despacho, “a especificidade dos tratamentos” e “o risco do próprio medicamento impõem que a sua administração deva ser iniciada e controlada por médicos com experiência”.
NOTAS SOLTAS
OUTROS APOIOS
Na lista dos medicamentos pertencentes ao escalão A (totalmente comparticipados pelo Estado) estão os anti-hemofílicos (quando fornecidos pelas unidades de saúde) e anti-inflamatórios intestinais, para o tratamento da doença inflamatória intestinal.
GASTOS
Um doente com artrite reumatóide pode gastar entre três e 10 mil euros anuais com os medicamentos. A Associação Nacional de Doentes com Artrite Reumatóide revelou que só 13 por cento dos doentes é medicado, por falta de dinheiro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)