Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Médico condenado a seis anos de prisão por violações nos Açores

Crimes aconteceram no serviço de urgências da maior unidade de saúde dos Açores, em São Miguel.
4 de Janeiro de 2018 às 16:32
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera
Aliesky Aguilera, o médico do Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, nos Açores, que estava acusado de cinco crimes de violação e outro de importunação sexual, foi esta quinta-feira condenado a seis anos de prisão. 

O médico, de 36 anos, casado e de nacionalidade cubana, foi julgado à porta fechada e alegadamente cometeu os crimes em 2016 no serviço de urgências da maior unidade de saúde dos Açores, na ilha de São Miguel.

Segundo a acusação, "o arguido tirou partido da circunstância de ser médico e de se encontrar no exercício das suas funções em estabelecimento hospitalar" e "agiu com o propósito concretizado de satisfazer os seus instintos libidinosos, bem sabendo que as ofendidas eram suas pacientes" no hospital "e que ali tinham ido para serem observadas" no serviço de urgência.

O Ministério Público alegou que "o arguido quis e conseguiu através dos atos médicos colocar as ofendidas na impossibilidade de reagirem, obrigando-as a manterem um comportamento de natureza sexual".

Acabou por ser condenado pelos cinco crimes de violação e absolvido do de importunação sexual.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)