Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Membros de banda musical detidos por violação de rapariga em Coimbra

Suspeitos atuaram num estabelecimento de diversão noturna da cidade.
Lusa 23 de Janeiro de 2019 às 20:00
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária

Dois homens de 26 anos foram detidos pela alegada autoria de dois crimes de violação, num hotel de Coimbra, de que foi vítima uma jovem de 18 anos, disse esta quarta-feira uma fonte policial.

A fonte da Polícia Judiciária adiantou à agência Lusa que a autoria dos crimes de violação, um deles na forma tentada, é atribuída a dois membros de uma banda musical que "não residem em Coimbra" e que atuaram num estabelecimento de diversão noturna da cidade.

Os suspeitos, um português e um estrangeiro sem antecedentes criminais, "agiram a título individual".

No final do concerto, "convidaram fãs para conviver" com eles na unidade hoteleira onde o grupo estava alojado, afirmou.

Os factos ocorreram no dia 9 de dezembro, "durante um convívio em que estavam presentes os suspeitos e a vítima", refere a Diretoria do Centro da PJ em comunicado.

Um dos crimes de violação foi consumado, enquanto o outro foi cometido na forma tentada.

Interrogados por um juiz do Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Coimbra, foi aplicada a um dos arguidos "a medida de coação de obrigação de permanência na habitação, fiscalizada com recurso a meios técnicos de controlo à distância", enquanto o outro fica obrigado a apresentações periódicas às autoridades, segundo a nota.

A medida mais gravosa foi aplicada ao suspeito do crime de violação na forma consumada, precisou a fonte da PJ à Lusa.

Um dos músicos foi detido na segunda-feira e o outro no dia seguinte.

Na sequência de uma tentativa frustrada de violação por parte de um dos músicos, que incluiu "algumas agressões" à jovem, esta "começou a gritar" por ajuda e logrou sair do quarto do agressor.

O segundo suspeito "viu a vítima chorosa e tentou acalmá-la", levando-a para o seu quarto, onde "forçou e consumou" o ato sexual, tendo reagido igualmente com violência à recusa da vítima.

Entretanto, o primeiro agressor entrou no quarto do colega e tentou igualmente a violação, mas sem o conseguir.

A jovem pediu apoio na receção do hotel, cujos funcionários comunicaram os incidentes aos agentes da autoridade.

Ver comentários