Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Menina morta por tractor

Peço a todos os pais que nunca deixem os filhos andar em cima de tractores. Espero que esta tragédia sirva de exemplo, porque isto não acontece apenas aos outros." O pedido, em lágrimas, é de Cristina Oliveira, mãe de Lara Ferreira Martins, a menina de apenas três anos que anteontem caiu do atrelado de um tractor conduzido pelo avô e morreu esmagada por uma roda.
10 de Julho de 2009 às 00:30
Cristina Oliveira, mãe de Lara, apelou a todos os pais para que não deixem os filhos andar em tractores
Cristina Oliveira, mãe de Lara, apelou a todos os pais para que não deixem os filhos andar em tractores FOTO: Sérgio Freitas

A menina, que, segundo a avó, "era a alegria da casa", ia, como várias vezes acontecia, em cima do atrelado, mas desta vez na companhia do primo, Simão Pedro, de sete anos, que tinha vindo passar o dia com os avós, em S. Clemente de Sande, Guimarães.

Num movimento mais brusco da máquina, conduzida por Domingos Ferreira, o avô paterno, de 75 anos, as crianças desequilibraram-se e caíram.

"As crianças gostam sempre de ir em cima do atrelado e a minha também gostava e muito, mas por causa disso lá foi", disse a mãe ao CM, com a voz embargada.

A menina foi apanhada por uma roda e teve morte imediata. O menino sofreu vários ferimentos, aparentemente ligeiros, mas mesmo assim e por precaução continua internado no Hospital de S. João, no Porto.

No momento do trágico acidente, o avô ficou em estado de choque, praticamente imobilizado. "Ele só gritava ‘ai que matei a minha rica menina’", disse ao CM um vizinho que esteve no local. Foi outro familiar que correu a chamar os Bombeiros das Taipas. Perante a gravidade do desastre, foi requisitada a VMER do Hospital de Guimarães.

O avô materno, José Oliveira, disse que se trata de "um momento dramático para toda a família, especialmente para os pais, já que era a única filha".

Ontem, junto à casa da família Ferreira, onde os pais da pequena Lara moravam juntamente com os avós paternos, o ambiente era de enorme consternação.

Todos os que ali chegavam tinham dificuldade em conter as lágrimas. A meio da tarde, havia dezenas de pessoas a prestar apoio aos pais.

"MORREU A MAIS LINDA FLOR DO NOSSO JARDIM"

A avó disse-o e repetiu-o várias vezes, sempre banhada em lágrimas: "Morreu a mais linda flor do nosso jardim." O tio, Aníbal Martins, descreveu ao CM "um choque sem medida", referindo que "a menina era muito traquina e era a alegria de todos nesta casa, particularmente do avô". Sobre o homem que conduzia a tractor disse: "Coitado, deve estar a sofrer o que não lembra a ninguém." No meio da tristeza, a palavra que mais se ouvia era coragem, dirigida sobretudo aos pais, Cristina Oliveira e Carlos Ferreira.

CARROS FAZEM MAIS VÍTIMAS

A secretária-geral da Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) disse ontem ao CM que os acidentes de viação em que as crianças são passageiras de veículos são "a principal causa de mortalidade infantil em Portugal". Helena Botte avisa ainda que "muitas destas mortes podiam ser evitadas se houvesse um uso mais adequado das cadeiras destinadas aos menores". A maior parte dos acidentes com crianças são quedas, sendo que estas "resultam muitas vezes da distracção dos pais".

PORMENORES

TRAVAGEM

Terá sido uma travagem a provocar a queda das crianças do atrelado. O caminho, apesar de ser em terra batida, é pouco sinuoso.

LIVRE DE PERIGO

Simão Pedro, de sete anos, sofreu ferimentos vários mas, segundo fonte hospitalar, não corre perigo de vida.

FUNERAL HOJE

O funeral da menina Lara Ferreira Martins realiza-se hoje, pelas 18h30, com missa na igreja paroquial.

DISCURSO DIRECTO: "AS PESSOAS NÃO SABEM COMO EVITAR ACIDENTES" (Helena Sacadura Botte, Ass. Promoção Seg. Infantil)

Correio da Manhã – Acidentes como o que vitimou esta criança são frequentes?

Helena Sacadura Botte – Não conhecemos uma especial incidência de acidentes em meio rural, o que constatamos, quer em meio urbano quer em meio rural, é que as pessoas não têm conhecimento dos riscos nem sabem como evitar acidentes.

– Mas pôr uma criança num tractor pode ser considerado um comportamento de risco?

– Sim, certamente. Lemos frequentemente notícias sobre acidentes de tractores que se viram e esmagam os condutores, pelo que as crianças nunca devem ser levadas neste tipo de veículo, até porque circulam em pisos irregulares e por isso mais perigosos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)