Barra Medialivre

Correio da Manhã

Portugal
5
Siga o CM no WhatsApp e acompanhe as principais notícias da atualidade Seguir

Buscas na ria de Aveiro pelo corpo da grávida desaparecida na Murtosa terminam sem sucesso

Foi uma empresa especializada, contratada pela família, que efetuou as buscas na ria, com o apoio da Polícia Marítima.
Tânia Laranjo, Francisca Laranjo e Paulo Jorge Duarte 6 de Dezembro de 2023 às 10:57
A carregar o vídeo ...
Mergulhadores fazem buscas na ria de Aveiro pelo corpo da grávida desaparecida na Murtosa
As buscas subaquáticas por Mónica Silva, grávida desaparecida da Murtosa, decorreram na manhã desta quarta-feira, junto à Ponte de Varela, na ria de Aveiro. O corpo da grávida não foi encontrado.



Inicialmente seria o irmão de Mónica, António Silva, que iria coordenar a operação. No entanto, foi uma empresa especializada, contratada pela família, a efetuar as buscas na ria. 

A empresa de mergulhadores profissionais coordenou as operações de forma gratuita como forma de apoio à família, que há dois meses não tem qualquer notícia de Mónica. 



A zona onde efetuaram buscas é de risco, com pouca visibilidade e muito lodo, pelo que as operações foram fiscalizadas, com o apoio da Polícia Marítima. 

Antes da entrada dos mergulhadores, um sonar rastreou toda a área de busca e detetou 13 zonas suspeitas e potenciais perigos.

Foi montado um perímetro de segurança para impedir que outras embarcações passassem na área enquanto decorriam as buscas. 

A Polícia Marítima contactou ainda os Bombeiros Voluntários da Murtosa para que assistência fosse prestada caso existisse alguma emergência. 

No local das operações juntaram-se dezenas de populares em jeito de solidariedade para com a família da mulher desaparecida. 

Mónica Silva desapareceu no dia 3 de outubro depois de sair de casa com ecografias. Chegou a ligar ao filho para dizer que chegava a casa em dez minutos, mas não voltou a dar notícias. Na altura, estava grávida de sete meses.

Fernando Valente, o principal suspeito do desaparecimento e ex-namorado da mulher, foi detido e está em prisão preventiva por suspeita dos crimes de homicídio qualificado, ocultação e profanação de cadáver e de aborto agravado.
mónica silva murtosa ria de aveiro
Ver comentários
C-Studio