Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Metro vai ter plano pronto até ao Verão

A construção do metro de superfície é a grande aposta, em termos de transportes, para os próximos anos no Algarve, aproveitando as verbas do III Quadro Comunitário de Apoio (2007-2013). Até ao final do corrente semestre será concluído um estudo sobre a rede ferroviária regional e a sua possível reconversão para comboio ligeiro.
24 de Janeiro de 2007 às 00:00
A proposta do novo Programa Regional de Ordenamento do Território do Algarve (Protal) estabelece como prioritária a implantação do metro nos dois principais aglomerados urbanos da região. A saber: Lagoa-Portimão-Lagos, no Barlavento, e Olhão-Faro-Loulé, no Sotavento.
O Programa Operacional do Algarve, divulgado recentemente pelo Governo, vai mais longe, apontando a necessidade da reconversão da linha férrea para um comboio ligeiro--eléctrico rápido nas ligações interurbanas de curta distância ao longo do Litoral, “com prioridade para Estombar-Lagos e para Faro-Loulé-Tavira-Vila Real de Santo António”. Mais: preconiza a construção de novos troços, que permitam servir “o centro da cidade de Faro, o Aeroporto Internacional, a universidade, o Parque das Cidades, bem como o Litoral dos concelhos de Albufeira e de Silves”.
Macário Correia, presidente da Câmara de Tavira e da Grande Área Metropolitana do Algarve, garante que, neste momento, “nada está decidido, existindo vários cenários em cima da mesa”. E acrescenta que “não há uma estimativa de custos”.
Um grupo de trabalho – constituído por membros da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, AMAL, Refer, Direcção-Geral de Transportes Terrestres e Fluviais e CP – terá de apresentar soluções até Junho.
Luís Carito, vice-presidente da Câmara de Portimão, considera que não há muito mais tempo a perder. “Temos de aproveitar as verbas do novo Quadro Comunitário de Apoio. É uma oportunidade única”, diz o autarca, que quer ver o projecto concretizado nos próximos “quatro ou cinco anos”. Menos optimista é Macário Correia, que fala num prazo não inferior “a dez anos”.
PORTIMÃO VAI TER GARE
A Câmara de Portimão vai construir uma gare intermodal (ferroviária e rodoviária) que está a ser projectada já no sentido de servir os utentes do futuro metro de superfície. Luís Carito, vice-presidente da autarquia, refere que o equipamento ficará localizado na Caldeira do Moinho, próximo do Parque de Feiras e Exposições e junto ao caminho-de-ferro e à actual estação dos comboios, dado que o metro deverá ser implantado “na actual linha férrea”. A edilidade pretende avançar ainda com uma profunda requalificação da zona. Refira-se que a cidade de Portimão carece há muito tempo que de uma gare de passageiros.
PORMENORES
LINHA
Um dos aspectos que sustenta o propósito de efectuar a reconversão da linha férrea para o metro de superfície é o facto de mais de metade da população algarvia viver a menos de dois quilómetros de estações de comboios.
POPULAÇÃO
As projecções existentes indicam que a população residente no Algarve irá passar das actuais cerca de 400 mil pessoas para meio milhão, no espaço de pouco mais de duas décadas.
PÓLOS
Em 2030, cerca de 66 por cento da população algarvia viverá na zona Faro-Loulé-Olhão (200 mil habitantes) e Portimão-Lagoa-Lagos (130 mil).
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)